Legado Sayad: Uma extensa agenda de obras e projetos

Hoje à frente da TV Cultura, o economista João Sayad esteve no comando da Secretaria de Estado da Cultura no período entre 2007 e 2010. Saiu em maio, com a função de ocupar o lugar que era de Paulo Markun e a promessa de mudar radicalmente a emissora pública de televisão. Deixou para seu sucessor, Andrea Matarazzo, uma extensa agenda de obras.

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2011 | 00h00

Marcada pelo aprofundamento do modelo das organizações sociais - entidades privadas que gerem órgãos públicos sob orientação da Secretaria -, sua gestão também se notabilizou pelo volume e extensão dos projetos. Entregou o Museu do Futebol, o museu infantil Catavento e a Biblioteca de São Paulo. Criou a São Paulo Companhia de Dança, reformou o Museu da Imagem e do Som, reformulou o ensino musical e acompanhou a substituição de John Neschling no posto de regente da Osesp. Antes de sair da Secretaria, Sayad deixou outros projetos em andamento. Além das Fábricas de Cultura, que devem começar a ser entregues em fevereiro, lançou os projetos do Museu da História de São Paulo e da transferência do MAC para o prédio onde funcionava a sede do Detran, no Ibirapuera. Plano que está atrasado em quase um ano.

Sua principal vitrine, contudo, é o Complexo Cultural Luz. Conhecido como Teatro da Dança, o projeto é cria do escritório suíço Herzog & de Meuron e ainda causa polêmica pelo seu custo elevado, estimado em cerca de R$ 600 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.