"Le Vin", um bistrô familiar

O Le Vin Bistro justifica plenamente o nome, pois propõe bons vinhos e uma cozinha francesa informal, bem tradicional, típica dos restaurantes familiares e populares da França. Eric Jacquin, que comanda o muito mais luxuoso Café Antique dá assessoria à casa.O restaurante é novo, precisa ainda aparar algumas arestas, cuidar melhor do acabamento de alguns dos pratos, mas já agrada. Ele fica na Alameda Tietê, bem perto da Augusta e, como era apropriado, tem decoração despretenciosa e sem luxo. Na entrada, praticamente na calçada, um bar com algumas banquetas altas, onde o barman Carlos prepara os drinques e, de quebra, faz mágicas com cartas.Depois, o salão com umas 12 mesas bem juntas, algumas pequenas demais e outras redondas, mais confortáveis, com toalhas quadriculadas. Um salão bem iluminado, paredes em tons claros, quadros e fotografias evocando vinhos, fotos de Paris e flores. Para dar um ar típico de bistrô familiar, fotos antigas de parentes dos proprietários, Nancy e Vera Matos e Francisco Barroso.Jacquin ajudou a elaborar o cardápio e deixou a cozinha a cargo de Nilson de Castro, que foi seu primeiro auxiliar no Café Antique. Um cardápio eclético, bem adaptado à casa, que fica aberta todo o dia, sem intervalos e que pretende servir café da manhã, almoço, lanches, chá da tarde e jantar.Nele, sete tartines e sanduíches (entre R$ 12 e R$ 16); três ovos e omeletes (entre R$ 8 e R$ 12); cinco saladas (entre R$ 9 e R$ 21); onze sopas e entradas (entre R$ 12 e R$ 25) e oitos pratos (carnes, aves e frutos do mar, entre R$ 16 e R$ 24), além das sobremesas (entre R$ 6 e R$ 8). No almoço, de segunda a sexta, um cardápio executivo por R$ 19 (uma salada, um prato principal e uma taça de vinho).No dia da visita, um balcão com ostras frescas foi montado na calçada. As ostras abertas na hora com uma taça de vinho branco Muscadet, conservado num balde de gelo, garantem uma belíssima recepção. Ostras de Santa Catarina, carnudas, bem salgadas e com gosto de mar. Segundo Eric, o balcão só vai ser montado quando chegarem ostras frescas, o que acontece normalmente aos sábados e domingos.Uma bela terrine campagne, tradicionalíssima, feita principalmente com porco, envolta na gordura, de sabor rústico, e as torradas de brie derretido com tomate são boas opções para começar um jantar. A cozinha demonstrou qualidades, mas me pareceu tímida no uso de temperos e de ingredientes com sabor mais forte. Os escargots estavam ótimos, mas poderia ter mais alho no ?molho? de manteiga com bastante salsinha. Na tradicional sopa de cebola gratinada, parece até que o cozinheiro se esqueceu do queijo por cima. Interessante ainda o gratin de alcachofra com um molho branco e queijo.Entre os pratos principais, um destaque todo especial para as quenelles de linguado com uma bisque de crustáceos. A quenelle, infelizmente rara entre nós, é uma espécie de bolinho de peixe, uma mousse um pouco mais consistente, na qual costumam entrar o creme de leite, ovos e farinha, e que é cozida na hora de servir. Um clássico da cozinha de Lyon. A do Le Vin Bistro estava deliciosa, com um delicado sabor de peixe. Para completar, uma bisque saborosa.Faltou sal nos escalopes de vitela à normanda e no navarin de cordeiro. ?Bifinhos? de vitela gostosos, úmidos, e ótimo molho cremoso, com base no creme de leite e vários champignons. O navarin de cordeiro, servido numa bonita panelinha de ferro fundido, é um cozido de costeletas de cordeiro e legumes. Carta de vinhos interessante, fugindo da rotina. Ela foi elaborada pelo sommelier Gilson Jovino da Costa, que é do Café Antique, e trabalhou durante 11 anos com Laurent Suaudeau. Muitos bons vinhos servidos em copos: quatro espumantes; nove de Jerez e do Porto; três de sobremesa; oito tintos (entre R$ 4 e R$ 14) e oito brancos (entre R$ 4 e R$ 14). Um ponto altamente positivo.Serviço atencioso e simpático. Falta ainda um pouco de entrosamento, mas os garçons e maîtres se esforçam. Café expresso muito bom.Le Vin Bistro - Alameda Tietê, 184. Tel: 881-3924. Horário: de segunda a quinta, das 10h à 0h. Às sextas e sábados, das 10h até à 1h. Aos domingos, só abre durante o dia, das 10h às 17h.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.