Lazarini assina com a Record

A nova novela da Record já está saindo do papel. Alegria de Viver é o nome provisório da trama que deverá substituir Marcas da Paixão. De autoria de Marcos Lazarini, que na última segunda-feira assinou um contrato com a Rede Record, as gravações devem começar a partir de agosto e a estréia está prevista para novembro. Esta é a primeira novela de autoria de Lazarini, que já trabalhou como colaborador de Walter Jorge Dürst em Tocaia Grande (na extinta Manchete) e Ossos do Barão (SBT). "Também chegamos a fazer uma adaptação de Tereza Batista Cansada de Guerra para a Globo, mas a nossa versão não foi a exibida pela emissora", lembra o autor, cujo trabalho de estréia na TV foi uma adaptação de Capitães de Areia com Walter Lima Jr, minissérie exibida pela Band. O desafio de encarar o projeto foi o que tirou Lazarini de seu último trabalho. Há cerca de um ano e meio, o autor dedicava-se ao site de conteúdo áudio-visual www.mediacast.com.br. "Quando eu trabalhava com o Dürst, tinha o peso da responsabilidade, mas ele era o escudo protetor. Agora é diferente, mas já estou preparado para toda a pressão que isso representa", admite.Mulheres em Transformação - Lazarini adianta que o enredo de Alegria de Viver vai pela contramão das tradicionais histórias de novelas. "A sinopse está em fase final de aprovação e a mocinha da minha história já aparece logo nos primeiros capítulos com um barrigão enorme", brinca o autor. A idéia, segundo ele, é criar um universo de mulheres em transformação. Além da protagonista Eugênia, que repetirá a história de sua mãe e também terá seu filho sozinha, outro núcleo de destaque é formado pelas amigas dela. "São quatro ou cinco mulheres, todas solteiras, que moram juntas e vivem uma série de situações emocionantes e divertidas", explica Lazarini. "Uma delas, por exemplo, será radialista e a principal contradição é que ela é totalmente diferente da imagem que transmite durante seu programa. No rádio é super segura e dá conselhos sentimentais para as ouvintes, mas em sua vida, não consegue se resolver emocionalmente". Novela Interativa - Segundo Lazarini, um dos diferenciais desta novela será a interatividade, que estará presente em diversos momentos. "A radialista, por exemplo, falará sobre situações verdadeiras", avisa. Para isso, antes da estréia da novela, a emissora estará soltando vinhetas convocando interessados em contar seus problemas e histórias pessoais. "Depois vamos acrescentar isso em cena, já que o programa de rádio será uma espécie de consultório sentimental", adianta. A escolha dos atores será feita em parceria com Atílio Riccó, diretor de Teledramaturgia da emissora, e deve começar nos próximos dias. "Por enquanto, só tenho escrito os três primeiros capítulos, mas devo finalizar os 15 primeiros em breve", garante. Lazarini também acrescentou que deverá ter colaboradores para escrever a novela, que terá em torno de 120 capítulos.

Agencia Estado,

17 de julho de 2000 | 09h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.