Lawrence e a excelência de David Lean

Meu Tio Matou Um Cara

LUIZ CARLOS MERTEN , O Estado de S.Paulo

03 de maio de 2012 | 03h08

16H10 NA GLOBO

Brasil, 2005. Direção de Jorge

Furtado, com Darlan Cunha, Sophia Reis, Lázaro Ramos, Deborah Secco, Dira Paes, Ailton Graça.

Uma família de afrodescendentes em Porto Alegre. O garoto se envolve com colega de escola e ganha ajuda para investigar o caso do tio, que teria matado um cara. Jorge Furtado é um autor peculiar no cinema brasileiro. Faz filmes que parecem sobre nada e são sobre tudo. Ainda por cima, crescem a cada (re)visão - este, por exemplo. Deborah Secco, na fase pré-Surfistinha, é sempre agradável aos olhos. Furtado acaba de mostrar no Cine PE seu novo curta, o ótimo Até à Vista. Reprise, colorido, 87 min.

A Queda da Dinastia Romanov

23H30 NA CULTURA

(Padenie Dinastii Romanovykh/ The Fall of the Romanov Dynasty). Russia/EUA, 2012. Direção de Esfir Shub.

O diretor Shub reconstitui a cronologia do czarismo em xeque, na Rússia de 1913 a 1917, culminando com a queda da dinastia Romanov e a execução da família real - massacre do qual teria sobrevivido a princesa Anastásia. Uma aula de história, mais que de cinema. Reprise, colorido, 90 min.

Brasília, Um Sonho de Três

Séculos

0 H NA TV BRASIL

Brasil, 2010. Direção de Pedro

Jorge.

Mais um episódio, o quarto, da série que documenta o sonho e a construção de Brasília. Este trata especificamente do concurso e de como o urbanista Lúcio Costa e o arquiteto Oscar Niemeyer impuseram sua visão do que deveria ser a Capital Federal. Amanhã, a emissora apresenta o último (final) episódio. Reprise, colorido, 30 min.

TV Paga

Lawrence da Arábia

14 H NO TCM

(Lawrence of Arabia). EUA, 1962.

Direção de David Lean, com Peter O'Toole, Omar Sharif, Alec Guinness, Jack Hawkins, Anthony Quinn,

Anthony Quayle.

O épico intimista que conta a história do lendário Lawrence e de como ele uniu as tribos árabes, alinhando-as com os ingleses no começo do século passado, é um portentoso estudo de personagem, além de possuir as mais belas cenas de deserto do cinema. Um exemplo superior da estética de Lean, vencedor de vários Oscars, incluindo filme, direção, roteiro e fotografia. Pelo horário, a emissora deve exibir o filme dublado, o que vai privar o espectador do excelente trabalho vocal do elenco. Reprise, colorido, 219 min.

Uma Lição para não Esquecer

17H20 NO TELECINE CULT

(Sometimes a Great Notion). EUA, 1971. Direção e interpretação de

Paul Newman, com Henry Fonda,

Lee Remick, Michael Sarrazin.

A grande noção do título é o individualismo e a discussão instala-se quando famílias de madeireiros entram em choque com colegas que fazem uma greve. A história passa-se no Oregon, a família está dividida por traições e ressentimentos e, neste quadro, se chocam indivíduo e grupo. Newman assumiu a direção em meio à rodagem. Veja como sua mise-en-scène integra a paisagem (a natureza) aos conflitos. Reprise, colorido, 113 min.

O Dia em Que Dorival Encarou

a Guarda

18H09 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1986. Direção de Jorge

Furtado e José Pedro Goulart, com João Acaiabe, Pedro Santos, Zé Adão Barbosa, Sirmar Antunes.

Já que a TV aberta mostra Meu Tio Matou Um Cara, é interessante destacar que a TV paga reprisa este filme do começo da carreira do diretor Jorge

Furtado (em parceria com Jo-sé Pedro Goulart). Dorival é o preso que encara a guarda do presídio militar, quando o banho é proibido. Baseado em Tabajara Ruas (uma das histórias de O Amor de Pedro por João), o curta-metragem é um modelo de concisão narrativa, merecidamente vencedor de vários prêmios no País e no exterior. Reprise, colorido, 21 min.

Louco por Cinema

18H30 NO CANAL BRASIL

Brasil, 194. Direção de André

Luiz Oliveira, com Nuno Leal Maia, Denise Bandeira, Jairo Matos,

Roberto Bonfim.

Cineasta baiano radicado em Brasília, Luiz Oliveira realizou dois filmes cultuados - de tendências diversas, inclusive e principalmente estilísticas, Meteorango Kid e A Lenda de Ubirajara. Nuno Leal Maia faz diretor internado em um instituto psiquiátrico e que tenta fazer um filme. A obra reflete, com humor e inteligência, o que é a loucura de fazer cinema no Brasil. Reprise, colorido, 100 min.

Noel - Poeta da Vila

22 H NO CANAL BRASIL

Brasil, 2006. Direção de Ricardo Van Steen, com Rafael Raposo, Camila Pitanga, Flávio Bauraqui, Jonathan Haagensen, Paulo César Pereio.

A cinebiografia de Noel Rosa trata dos conflitos familiares

e expõe a criatividade do poe-

ta da vila, mas o que fica com

o espectador é a intensidade

da relação com a Dama da Noite. Bom de comparar com Eu Receberia as Piores Notícias

de Seus Lindos Lábios, em exi-bição nos cinemas. Ao contrário do que pensam muitos críticos e a própria Camila Pitanga, este é o melhor papel dela. Reprise, colorido, 99 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.