Latinidade é celebrada na música, cinema, teatro

A nova identidade latina na música, cinema, teatro, artes visuais, literatura, dança, gastronomia, intervenções e performances de artistas de 22 países é o que se verá entre as 176 atrações da Mostra Sesc de Artes - Latinidades, que começa hoje e prossegue até o dia 31 de agosto, em todas as unidades do Sesc São Paulo. Além de ser uma grande celebração à latinidade, a mostra vem para quebrar uma barreira geográfica, que, por muitas vezes, se reflete no nível de relacionamento entre os países latinos, sejam eles influenciadores ou influenciados. "Temos um pouco de preconceito, mas somos vítimas também", diz o diretor regional do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda. "Somos um pouco diferentes, o que acaba causando um certo isolamento. E uma forma de transpor isso é por meio da cultura e das artes." A programação do Latinidades é pontuada por artistas internacionais, trabalhos inéditos no Brasil, retrospectivas e pré-estréias, todos gratuitos ou a preços populares. Algumas atrações se repetem em diversas unidades do Sesc. Na música, entre os destaques, está o badalado cantor argentino Fito Paez, um dos principais expoentes da música pop do seu país, ele fará quatro apresentações: hoje, só para convidados; amanhã (com participação de Frejat); outra no sábado (com Nando Reis); e a última, sem convidados, no domingo. Haverá ainda outros nomes de peso, como o grupo Sr. Coconut, liderado por um DJ alemão radicado no Chile, que faz espetáculo com Bajo Fondo Tango Club e Anvil Fx, amanhã, às 20h30, no Sesc Pompéia; e a cantora mexicana Lila Downs, que participou da trilha sonora do filme Frida, ao lado de Caetano Veloso, e que estará no Brasil pela primeira vez, dia 29, às 21 horas, no Sesc Santo André, e dias 30, às 21 horas, e 31, às 18 horas, no Sesc Pompéia. O festival de cinema ocupará o Cinesesc e as unidades Itaquera e Interlagos, com a exibição de 25 longas e quatro curtas-metragens. O Cinesesc vai abrigar o módulo Olhares sobre a América Latina, trazendo filmes como o inédito Bolivia, do argentino Adrián Caetano, até clássicos, como Terra em Transe, de Glauber Rocha, e Os Esquecidos, de Luis Buñuel. No Sesc Itaquera, um ciclo do cineasta espanhol Pedro Almodóvar. Ou curtas do diretor gaúcho Jorge Furtado, no Sesc Interlagos. A programação cênica trará cerca de 20 espetáculos, entre nacionais e internacionais. A Argentina é o país que tem mais representantes na mostra. Destaque para o grupo El Rayo Misterioso, que traz o espetáculo Muz, dia 22, às 21 horas, em Santo André, e dias 23 e 24, às 20h30, no Sesc Belenzinho; e para a companhia colombiana Mapa Teatro, fazendo uma releitura contemporânea do texto Ricardo III, de 29 a 31, às 21 horas, no Belenzinho.No segmento da dança, há outros nomes importantes, como o coreógrafo Koffi Kôkô, que leva ao palco do Sesc Consolação seu solo Ça, amanhã e quinta, às 21 horas. Junto com sua companhia, ele apresenta a coreografia Les Feuilles Qui Resistent Au Vent, no Belenzinho, dias 22 e 23, às 21h30. Entre as artes visuais, merecem ser visitados módulos como Palavra Extrapolada, no Sesc Pompéia, coletiva com obras de Nelson Leirner, Mirella Bentivoglio, entre outros. No campo literário, palestras com o poeta Ferreira Gullar, na quinta, às 21 horas, e Paulo Lins, autor de Cidade de Deus, dia 22, às 21 horas, no Sesc Pinheiros. O sociólogo francês Edgar Morin conduzirá palestra no Sesc Paulista, dia 29, às 10 horas. Clique para conferir a programação completa no site do Sesc Mostra Sesc de Artes - Latinidades. Abertura hoje, às 20 horas. Apresentação de Fito Paez, Bacamartes e Los Gaiteros, Anvil FX, Bajo Fondo e Sr. Coconut, Noites Paraguaias, Palavra Extrapolada e projeção de imagens "Zona Franca". Os ingressos devem ser retirados com 1 hora de antecedência. Sesc Pompéia. Rua Clélia, 93, tel. 3871-7700. Hoje, às 15 horas, "Os Esquecidos", de Luis Buñel. CineSesc. Rua Augusta, 2.075, tel. 3082- 0213. Ingressos de R$ 3 a R$ 7. Até 31/8

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.