Lançamentos comemoram centenário de Alcântara Machado

O centenário de nascimento do escritor Alcântara Machado, morto prematuramente aos 34 anos, é comemorado com exposição, biografia e o lançamento de suas obras completas; autor de Brás, Bexiga e Barra Funda e Laranja na China é o melhor cronista da São Paulo que os imigrantes italianos construíram nos anos 20 e 30 e é visto por muitos, até por Mário de Andrade, como o prosador do movimento modernista, na sua primeira fase.A morte prematura, no entanto, contribuiu para que o escritor caísse no esquecimento antes do tempo. Nas comemorações que começam ainda no primeiro semestre deste ano, o leitor não deve deixar a armadilha intelectualista, que autor tanto combatia, matar o prazer de uma prosa excepcional, que ainda converte muita gente ao gosto da leitura.Leia mais sobre o escritor e um texto publicado apenas em 500 exemplares de uma edição para familiares e amigos, após a morte do escritor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.