LaMotta, antes do touro indomável

Sorte no Amor

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2012 | 03h10

15H40 NA GLOBO

(Just My Luck). EUA, 2006. Direção de Donald Petrie, com Lindsay Lohan, Chris Pine, Faizon Love, Missi Pyle, Bree Turner, Samaire Armstrong.

A garota mais sortuda da cidade encontra o sujeito mais azarado. Beijam-se e há uma transferência de expectativas. Tudo passa a dar certo para ele, errado para ela. Se a comédia romântica do diretor Petrie funciona, é pelo elenco. Reprise, colorido, 89 min.

Batalha de Honra

22H45 NO SBT

(Twin Warriors). China, 1994. Direção de Yuin Woo Ping, com Jet Li, Michelle Yeoh, Chin Siu Ho, Fannie Yuen.

Amigos de infância, Jet Li e Chin Siu Ho fogem do templo shaolin e seguem trilhas distintas - um se alia aos pobres, outro aos ricos. O confronto é inevitável e Li, claro, vence nos braços do povo (ou você tem dúvidas quanto a isso?) Reprise, colorido, 93 min.

Crupiê a Vida em Jogo

23 H NA REDE BRASIL

(Croupier). França/Reino Unido/Irlanda, Alemanha, 1998. Direção de Mike Hodges, com Clive Owen, Nick Reding, Rhona Mitra.

O diretor Hodges pode ter tropeçado em sua versão de Flash Gordon - o que não impediu o filme de virar cult -, mas deve sua reputação aos policiais, que são sólidos. Aqui, ele mostra Clive Owen como aspirante a escritor que se endivida e, para saldar as dívidas, vai trabalhar como crupiê num cassino. O problema é que colegas tentam envolvê-lo num esquema de assalto ao local. Owen, na época, estava cotado para ser James Bond, mas quem ficou com o papel de 007 foi Daniel Craig. Reprise, colorido, 94 minutos

O Risco da Falta de Energia

0 H NA CULTURA

(Backlight Energy Risk). Holanda, 2010. Direção de Shuchen Tan.

Documentário que faz uma projeção sombria sobre o ano 2025, quando, a se julgar pelo ritmo atual da demanda, as reservas de combustível estarão se esgotando. Falta pouco, mas a ausência de planejamento e a ganância por lucros podem criar o caos. Reprise, colorido, 54 min.

Assassinato

3H40 NA REDE BRASIL

(Murder). Inglaterra, 1930. Direção

de Alfred Hitchcock, com Herbert

Marshall, Norah Baring, Phyllis

Konstam, Edward Chapman.

Um dos primeiros filmes sonoros de Hitchcock e um daqueles que com The Lodger, de 1926, e Chantagem e Confissão, de 1929, permitem vislumbrar o que será depois seu estilo (e o gosto pelo suspense). Herbert Marshall faz ator que integra júri, no caso de atriz acusada de matar a colega. Embora provas irrefutáveis a apontem como culpada, ele acredita que é inocente. No Dicionário de Cinema, Jean Tulard destaca que a arte de contar e iluminar, absorvidas do expressionismo alemão - após uma estada do jovem diretor nos estúdios da U.F.A. -, já situam Hitchcock como pequeno mestre. O filme teve uma versão alemã, do próprio Hitchcock. Chamou-se Mary e o Alfred Abel substituía Marshall como protagonista. Reprise, preto e branco, 104 min.

TV Paga

Desafio à Corrupção

19H30 NO TELECINE CULT

(The Hustler). EUA, 1961. Direção de Robert Rossen, com Paul Newman, Jackie Gleason, Piper Laurie, George C. Scott, Jake LaMotta.

Muita gente até hoje não se conforma de que Paul Newman não tenha recebido o Oscar por este, que seria seu maior papel. Ele faz o amargurado (e desencantado) Eddie Felson, jogador de sinuca que desafia o lendário Minnesota Fats. A fotografia de Eugen Shuftan ganhou o prêmio da Academia e o clima denso é perfeitamente noir, numa época em que essa tendência já se tornara extemporânea em Hollywood. Foi necessário esperar mais 25 anos para que Newman voltasse à pele de Eddie Felson e, enfim, ganhasse o Oscar. O filme era A Cor do Dinheiro, de Martin Scorsese - que já havia realizado Touro Indomável, contando a história de... Jake LaMotta, que é, aqui, coadjuvante. Reprise, preto e branco, 135 min.

Bonequinha de Luxo

22 H NO TCM

(Breakfast at Tiffany's). EUA, 1961. Direção de Blake Edwards, com

Audrey Hepburn, George Peppard, Patricia Neal, Buddy Ebsen, Mickey Rooney, Martin Balsam.

Outro filme que virou cult, e do mesmo ano do anterior. Baseia-se no relato de Truman Capote sobre Holly Golightly, garota 'excêntrica' de Nova York que se envolve com aspirante a escritor. O filme nunca faz referência ao fato de que ela pode ser - é - garota de programa e ele, gigolô. Essa espécie de pudor, mesmo datando o filme, contribui para a aura. E pensar que Truman Capote se opôs, veementemente, à escalação de Audrey. Ele queria Marilyn Monroe - independentemente de talento, teria sido um desastre, já que MM, só de entrar em cena, já tornaria explícito o que o diretor Edwards secreta. Oscar de canção para Moon River, um clássico. Reprise, colorido, 115 min.

O Outro Lado da Rua

22 H NO CANAL BRASIL

Brasil, 2004. Direção de Marcos Bernstein, com Fernanda Montenegro, Raul Cortez, Laura Cardoso.

Como em Janela Indiscreta, o clássico de Alfred Hitchcock, idosa que bisbilhota os vizinhos desconfia de que crime foi cometido no prédio em frente. Riqueza de observação, grande elenco. Reprise, colorido, 97 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.