Lagerfeld monocromático destaca saias longas e alfaiataria

Enquanto a chuva parava e o sol iluminava o céu de Paris, o clima na passarela ficava sombrio. No desfile da coleção de seu próprio nome para o outono 2008, Karl Lagerfeld, o grande mestre da moda francesa e estilista da Chanel, pôs na passarela modelos em criações monocromáticas e alfaiataria masculina. O único vislumbre de cor esteve no forro vermelho de um casaco. A top Irina Lazareanu, musa inconstante do cantor britânico Pete Doherty, da banda Babyshambles, liderou o desfile de saias longas e justas de cinturas altas, ou saias curtas bufantes. Os comprimentos maiores, especialmente das camisas pretas, justas e acinturadas, motivaram especulações de que Lagerfeld estaria sucumbindo ao clima mais pessimista que acomete a economia global. Na história da moda, sabe que as mulheres tendem a cobrir-se do pescoço aos pés quando as perspectivas econômicas ficam sombrias. Os desfiles de Milão, na semana passada, foram marcados por cores escuras e saias mais longas, mesmo nas coleções dos estilistas mais ousados. Mas Lagerfeld, cujo estilo pessoal esteve em evidência na coleção de golas brancas altas usadas pelas modelos, rejeitou a sugestão. "Não acredito em um só estilo. Pode ser uma saia mais longa ou mais curta, uma minissaia -- não se pode ter uma linha com um só comprimento. Sempre é preciso ter mais", disse ele a jornalistas no backstage. A temporada de moda de Paris, que acontece após as semanas de moda de Nova York, Londres e Milão, é a etapa final do ciclo dos desfiles que vão apontar as tendências da próxima estação e servir de inspiração vital às maiores redes mundiais de moda no varejo, desde Zara e H&M até a Marks & Spencer. Ainda nesta quarta-feira, os destaques serão os desfiles de Emanuel Ungaro, Christian Lacroix e Givenchy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.