Lafonte se reposiciona para crescer MERCADO

Nos últimos quatro meses, a Lafonte, do grupo Escala - com forte presença no mercado de didáticos e dono mais de 120 títulos de revistas -, vem se reorganizando para competir de igual com as maiores editoras do País por um lugar nas listas de mais vendidos. Em janeiro, apresenta dois novos selos. Pelo Hamelin, publicará ficção em geral - romances, títulos juvenis, chicklit e fantasia. Entre os primeiros autores estão Silvia Day, nas listas com a trilogia Toda Sua (Paralela), e J. Kenner. Editará, também, os cinco títulos da série O Único e Eterno Rei, de T.H. White, que narram histórias como as do Rei Arthur, Merlin e de Guinevère. O selo Princípio vai abrigar os títulos de desenvolvimento pessoal e negócios e autores como Marcos Silvestre, de 12 Meses para Enriquecer, e Jacob Petry, que escreverá com Valdir Bündchen, pai da Gisele, obra sobre inteligência prática. A editora mãe é a Lafonte, que publicará obras de não ficção, especialmente nas áreas de música e gastronomia. Ela segue com o direito da marca Larousse, a famosa editora francesa do grupo Hachette, maior do mundo, do qual inclusive a Escala já fez parte - a sociedade foi desfeita em 2010. Com o selo Lafonte, lançará, finalmente, A Pequena Biblioteca do Vinho, que o leitor brasileiro conhecia na versão importada. Moda Intuitiva, de Cris Guerra, também está na programação. Serão 140 novos títulos em 2013 - ante os 70 de 2012 - e para dar conta da empreitada a equipe cresceu 30%. O digital também está na mira do diretor Pedro Almeida, ex-Leya, que chegou para implementar as mudanças, e contratos foram fechados com Apple, Amazon e Google.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.