Ladrões se enganam e roubam réplicas de Munch

Uma nova tentativa de roubar obras do pintor norueguês Edvard Munch (1863-1944) acabou em fracasso hoje, em Oslo, quando ladrões levaram três réplicas sem valor, segundo informou a polícia.Quase um ano depois do roubo das obras primas O Grito e Madona, dois indivíduos encapuzados entraram num hotel que continha uma grande coleção de Munch e fugiram com simples réplicas que confundiram com originais."Trata-se verdadeiramente de um equívoco", declarou à agência AFP Vidar Hjulstad, um responsável pela polícia de Oslo. "Os quadros roubados não tinham absolutamente nenhum valor", disse.O hotel Continental possui originais de três pinturas do artista: O Vampiro, Autor-retrato e Melancolia, mas recentemente as substituiu por réplicas, devido ao grande interesse que as obras de Munch despertaram recentemente entre criminosos, falou a gerente do estabelecimento."Os originais estão bem guardados. É uma verdadeira decepção para os ladrões", afirmou para a AFP Siv Lund Kolrud.Em 22 de agosto de 2004, em plena luz do dia e na frente de centenas de turistas, dois indivíduos encapuzados e armados roubaram O Grito e Madona do Museu Munch, de Oslo, e fugiram em um veículo roubado conduzido por um terceiro homem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.