Ladrões roubam afrescos de Pompéia

Ladrões roubaram dois afrescos romanos e danificaram outros murais de arte de valor incalculável na antiga cidade de Pompéia, provavelmente durante o final de semana, segundo informou nesta segunda-feira, Raffaella Leveque, porta-voz do escritório governamental que supervisiona o local.Vender esssas obras de arte em mercado aberto seria quase impossível, fazendo com que a suspeita seja de que os ladrões tenham roubado por encomenda, explicou Raffaella. "Isso é arte romana de Pompéia, do século 1. Não é algo que se possa encontrar em uma loja de antigüidades", disse ela.Um dos afrescos era uma pintura redonda de cupido, o deus alado do amor, de um diâmetro de 32,5 centímetros. O segundo, era uma pintura de um galo que bicava uma romã, de 42,5 por 47,5 centímetros.Os agrescos foram realizados poucas décadas antes da cidade ser sepultada por cinzas, após a erupção do vulcão do monte Vesúvio, no ano 79 da era cristã. Outros afresdos ficaram danificados quando os ladrões tentaram arrancá-los das paredes, segundo informaou um comunicado do escritório da Superintendência Arqueológica de Pompéia. Os afrescos roubados estavam em uma sessão das ruínas fechada ao público e próximos das paredes da cidade antiga, explicou Raffaella, acrescentando que as autoridades estão investigando a equipe de segurança do lugar.

Agencia Estado,

07 de abril de 2003 | 18h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.