Lacroix desfila arte experimental em Paris

O estilista francês Christian Lacroix "rasgou" seu próprio livro de regras na sua apresentação, hoje, em Paris, com uma coleção de vestidos que aproximam-se mais de uma arte experimental do que de um show de glamour. A modelos exibiram vestidos cortados, com barras angulares, lapelas assimétricas e mangas de seda enforcadas por uma explosão de ombros. Com a marca technicolour de Lacroix, exibindo desde estampas púrpuras a detalhes brilhantes, os vestidos conseguiram confortavelmente sustentar-se ao lado da arte moderna exposta na galeria do Louvre, bem próxima ao local onde os desfiles estão sendo realizados. Apesar da fisionomia séria e dos cabelos estritamente arrumados, as modelos pareciam ter sido surpreendidas em uma rede de pesca. "Ele costumava fazer vestidos que parecessem vestidos, estes foram muito mais inspirados na arte", disse Kalman Rutenstein, um comprador da loja de departamento americana Bloomingdales, experiente na cena fashion de Paris. "Dá a impressão de que ele rasgou os vestidos e costurou-os novamente, ao contrário". No desfile, Lacroix novamente marcou alto no visual de impacto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.