"Laços de Família" chega ao fim

Faltam apenas três capítulos para Manoel Carlos colocar um ponto final em Laços de Família, uma das mais polêmicas e conturbadas novelas das oito da Globo. Há os que amam e os que odeiam a trama baseada na mãe-que-faz-qualquer-coisa-pelos-filhos e no sofrimento da jovem com leucemia. A história conquistou em média 45 pontos no Ibope, e virou assunto em qualquer rodinha de amigos. Até o Juizado de Menores resolveu interferir e retirou da trama, por um mês, os atores menores de idade, alegando que participavam de cenas envolvendo violência e sensualidade em demasia. A Igreja também se envolveu, proibindo a utilização das cenas gravadas na Capela da Reitoria da UFRJ, local escolhido para o casamento de Camila (Carolina Dieckmann) e Edu (Reynaldo Gianecchini). Depois de tantos contratempos, Laços de Família sai do ar no dia 2 de fevereiro. Mas até o fim desta semana Manoel Carlos terá de resolver seu maior problema: o destino de Íris (Deborah Secco). A ninfeta malvada pode morrer e ir cavalgando ao encontro dos pais, com quem vive tendo visões, ou virar um anjinho de última hora e ganhar o amor de Pedro (José Mayer). Se a segunda opção prevalecer, Cíntia (Helena Ranaldi) terminará com Romeu (Paulo Zulu) ou será a todo-poderosa e solitária administradora do Haras Celta. O galã Raí - O autor jura que não é charme nem tentativa de criar mistério: ele não sabe mesmo o que fazer com a sua Lolita rural. Mas já tem finais definidos para todos os outros personagens, contando até com uma participação especial do ex-jogador de futebol e agora apresentador de TV Raí. Ele será o herói que vai namorar a mal-humorada Ciça (Júlia Feldens). "Quando ela estiver indo para Nova York, encontrará Raí no Aeroporto Tom Jobim, no Rio. Eles viajam juntos, começam a conversar e nasce uma grande simpatia entre ambos. Fica claro que vão namorar", adianta o autor. Como adora inserir festas hollywoodianas em suas tramas, Manoel Carlos fecha o último capítulo de Laços com um grande baile à fantasia. "Todo o elenco estará presente. É para comemorar os 18 anos de Estela (Júlia Almeida) e a cura de Camila. Nessa festa, a filha de Helena (Vera Fischer) anuncia que está grávida e o professor Bento (Leon Góes) pede Estela em casamento", conta. Enquanto a aniversariante desfila vestida de fada, Alma (Marieta Severo) ataca de Carmen Miranda, Romeu investe no visual gladiador e Camila se fantasia de trapezista (homenagem ao marido da atriz, Marcos Frota, ator e trapezista). Vida e morte - Bem, à essa altura fica claro que Camila se livra da leucemia. E a responsável por isso é Vitória, sua irmã recém-nascida, que será criada pelo casal Miguel e Helena. Já Marcela (Paula Tolentino) não terá a mesma sorte de sua companheira de hospital. Para mostrar a real necessidade do aumento de doações para transplantes de medula e a gravidade da doença, a personagem não resistirá. Outra que também morre é Rita (Juliana Paes). Só que durante o parto. "Assim como na vida, uns nascem, outros morrem. Novela não poderia ser diferente", tenta explicar Maneco, diante do apelo popular para que a empregada sobreviva. "Os gêmeos nascerão saudáveis e serão criados por Alma e Danilo (Alexandre Borges), que volta para casa. As crianças vão se chamar Álvaro e Margarida (Guida), nomes dos pais de Alma. Com isso ela assume verdadeiramente a posse dos bebês, como se fossem seus filhos: ela deu esses mesmos nomes aos gêmeos que teve e que morreram", comenta o autor. Mas há quem se dê bem no fim da história. A alpinista social Clara (Regiane Alves) dá o golpe do baú. "Ela viaja para Paris com um homem rico, bonitão, divorciado, de uns 45 anos, chamado Martins (Wladimir Candini)", diz Maneco. E para reforçar as atitudes de mau caráter que teve na novela inteira, Clara não quer nem saber da filha, Nina (Júlia Magessi), que será criada por Fred (Luigi Baricelli) e Capitu (Giovanna Antonelli). Junto com Bruninho (vivido pelos gêmeos Natan e Andrei Beltrão), claro. "A Simone (Vanessa Mesquita) continua batalhando, na vida, e se achando irrecuperável", completa o autor. Já Severino (Claudio Gabriel) acaba se decidindo por Marta (Arlete Heringer), e Socorro (Mônica Siedler) volta para a fazenda, no Sul. Viriato (Zé Victor Castiel) fica curado da impotência e Yvete (Soraya Ravenle) termina grávida. Como novela é uma obra aberta, Manoel Carlos deixou de lado, em vários momentos, a sinopse de Laços de Família para acolher as opiniões do público ou simplesmente por verificar que determinada trama não estava rendendo o que esperava. Os telespectadores gostaram de Orlando (Henrique Pagnoncellis)? Então, a participação do vilão foi esticada. Assim como a de Luiz Nicolau, o Maurinho, que nem constava entre os nomes na relação emitida pela Globo, no início da trama. Íris precisava de um pretendente para fazer ciúmes a Pedro? De repente, lá estava o riquinho Fábio (Max Fercondini). Já a Sílvia, de Eliete Cigarini, não só desistiu de sua vingança contra Pedro como saiu da novela. Paulo Zulu acabou não estourando como era esperado, enquanto Gianecchini surpreendeu pela determinação e correção. Capitu teve de provar que se prostituía para poder criar o filho e ajudar os pais. Aí, ela caiu nas boas graças do público. Assim como Camila: precisou ficar entre a vida e a morte para receber o perdão dos telespectadores por ter roubado o namorado da mãe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.