Laboratório de Drexler

O cantor uruguaio Jorge Drexler, entusiasmado com a campanha de Forlán & Cia na Copa do Mundo, desembarca no Brasil esta semana para shows em São Paulo, Rio, Porto Alegre e Florianópolis. Também tem agendada a gravação de um videoclipe no Rio, dirigido pelo brasileiro Andrucha Waddington (será dele a música-tema de Lope, próximo filme de Waddington, sobre Lope de Vega, dramaturgo, poeta e escritor espanhol do século 16).

Jotabê Medeiros, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2010 | 00h00

Drexler está excursionando pelo mundo a bordo do seu mais recente disco, Amar La Trama, lançado em março (no Brasil, saiu pela Warner). O álbum condensa a lírica especial do artista em faixas como Tres Mil Millones de Latidos - que trata do número de batidas de coração de um ser humano que viva até a idade média de 80 anos. Ele já fez 25 shows desse disco e sua nova banda é vitaminada, com três saxofones, três trombones, trompete e muita percussão, com marimbas e congas, além de theremin (instrumento de origem russa que permite "tocar" ondas eletromagnéticas), serrote e eletrônica. "Estou feliz com o resultado, é um show muito movimentado", afirmou.

Drexler vive atualmente em Madri, na Espanha. Ganhador do Oscar de melhor canção em 2005 (por Al Otro Lado del Río, tema do filme Diários de Motocicleta, de Walter Salles), ele foi o autor da recente versão em espanhol de Waka Waka, o hit de Shakira, a convite da colombiana (com quem Drexler frequentemente colabora). "Shakira é uma grande estrela pop e também uma grande trabalhadora, muito consciente", conta o cantor, que também já foi um "fominha" do futebol amador, jogando com a camisa 9 de centroavante. Ao se despedir, Drexler disse: "Mande um chamamento público para Caetano, expressando minha vontade de cooperação", disse o cantor, referindo-se ao colega Caetano Veloso, uma das grandes influências de sua carreira.

JORGE DREXLER

Quando: Sexta-feira, às 22 h. Onde: Via Funchal. Rua Funchal, 65, Vila Olímpia, telefone: 2144-5444. Quanto: R$ 70/ R$ 200.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.