La La La Human Steps é destaque do Antares 2000

Para fechar a programação da Antares Dança 2000, o grupo canadense La La La Human Steps fará uma apresentação nesta quarta-feira, no Teatro Municipal do Rio, e três no Teatro Alfa, em São Paulo, na sexta, sábado e domingo. Sob o comando de Édouard Lock, a companhia apresentará a coreografia Salt.Neste trabalho, os bailarinos e os músicos têm como tema a percepção do tempo pelo movimento que o corpo faz. A coreografia é composta por uma série de pas-de-deux intensos que revelam a maneira de pensar e desorientam a percepção dos espectadores. Durante os 95 minutos de espetáculo, os bailarinos dançam na ponta dos pés, o que exige grande condicionamento físico dos intérpretes. Para Lock, a dança é uma forma de pensamento, um meio de pesquisar e investigar as coisas interessantes da vida.Por causa desta sua compreensão da dança, a percepção é tema recorrente em seus trabalhos. De acordo com as idéias do criador, este ponto é o mais complexo da mente humana - "a ação de perceber é uma ação de buscar, porém para tal, é preciso ter o equipamento adequado e num mundo onde a produção dos elementos novos é incessante, isso resulta em processos permanentes na percepção", já disse.O uso da sapatilha de ponta é um artifício para desenvolver no público a percepção da forma. A ponta se encarrega de deixar claro o que se faz com o corpo, porque causa a desestabilização da velocidade e do peso.Salt estreou no Saitama Arts Center, no Japão, em outubro de 1998, e está em turnê mundial. É uma co-produção do Théatre de la Ville, de Paris, do Het Muziektheater, de Amsterdã do Singel, da Antuérpia, do Theater Der Stadt, do prórpio Saitama, e conta com apoio especial do Tanzwochen Wien de Viena.História - Edouard Lock iniciou sua carreira aos 19 anos e, entre 1975 e 1979, passou por companhias como Groupe de la Place Royale, Groupe Nouvelle Aire e Les Grands Ballests Canadiens. Em 1980, fundou sua própria companhia, a Lock-Danseurs, que mais tarde passou a se chamar La La La Human Steps.O trabalho desenvolvido por Lock e seus bailarinos sempre provocou polêmica entre a comunidade internacional de dança. No ano de 1987, a coreografia New Demons, que abriu o segundo Festival Internacional de Nouvelle Danse, em Montreal, no Canadá, foi o ponto de partida para a companhia sair em uma turnê mundial, que durou dois anos.Entre suas criações destacam-se Lily Marlene in the Jungle (1980), exibida no The Kitchen, em Nova York, na época em que este era um importante espaço de dança nos Estados Unidos. Oranges (1981), que ganhou o prêmio Jean A. Chalmers e Businessman in The Process of Becoming an Angel (1983), com que a principal bailarina da companhia, Louise Lecavalier, ganhou um prêmio Bessie, em Nova York.Louise esteve associada a Lock desde 1981, formando com ele uma dupla desafiadora. Ela criou piruetas em que ficava paralela ao chão e parecia levitar. O trabalho dos dois esteve intimamente ligado por quase 20 anos em coreografias como 2, que expõem a fragilidade do corpo humano.Depois de estrear no Théatre de La Ville, em Paris, em 1995, 2 partiu em uma turnê mundial que só terminou dois anos depois, tendo sido vista por 130 mil pessoas em 58 cidades. Louise Lecavalier fez sua última apresentação com o La La La Human Steps na cidade do Porto, em Portugal, no ano passado.Promoção - Há sete anos, a Antares busca a revitalização da dança e tenta trazer para apresentações no Brasil grupos significativos, além de fornecer um panorâma daquilo que está sendo apresentado no exterior. A produtora conta com um orçamento de R$ 2 milhões e tem o patrocínio da IBM, da Philip Morris, da Sul América Seguros, além do apoio cultural do Estado.Para a empresária Maria Rita Osório Stumpf "os bailarinos brasileiros, ao verem esses espetáculos, buscam atingir a mesma qualidade técnica dos grupos estrangeiros". De acordo com ela, o projeto também favorece a formação de público no País.La La La Human Steps - Duração: 1h35. Sexta e sábado, às 21 horas; domingo, às 18 horas. De R$ 20,00 a R$ 90,00. Teatro Alfa. Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, tel. 5693-4000, 0800-558191, www.teatroalfa.com.br. Patrocínio: Banco Real, IBM, Alfa Romeo, Embratel e CPM.

Agencia Estado,

19 de setembro de 2000 | 17h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.