"Kung Fu" renasce na Internet

Kung Fu, o seriado de televisão dos anos 70, está de volta. Nos rastro do sucesso de As Panteras, o ator David Carradine revive on-line as célebres aventuras de Kwai Chang Caine, monge shaolin que foge da China para vingar a morte de seu mestre Po. Em sua jornada pelo velho oeste norte-americano, em busca de seu pai, Caine presta ajuda a colonizadores e é perseguido por caçadores de recompensa. São 12 episódios, todos na nova tecnologia Pulse, que cria animações em 3D para a Internet, a partir de cópias digitais de características físicas reais.Carradine, 63 anos, mora em Los Angeles, está trabalhando no Family Law, da CBS. Ano passado, recebeu um telefonema de diretores da Warner Brothers. "Eles me vieram com a idéia de pôr shaolin num site, me mostraram o Pulse e eu fiquei estarrecido. É uma tecnologia inovadora, que irá revolucionar a web", ele conta.Por várias semanas, Carradine submeteu-se a um processo que lembra o nascimento de Frankstein. Os técnicos da Warner colocaram eletrodos em seu rosto, gravaram suas expressões faciais e seu jeito de andar. Apesar do susto, ele acabou gostando do resultado.O kung fu on-line é totalmente interativo. A história ensina como lutar, no estilo de sua preferência. Há um momento, quando Caine espanca um inimigo, em que é possível escolher os golpes, clicando com o mouse em um botão. Carradine exulta com a reedição desse tipo de luta marcial, com a explosão nas telas dos cinemas da filosofia oriental.A série Kung Fu começou junto com o Enter the Dragon, de Bruce Lee. Mas depois de sua morte, o mundo esqueceu a magia da luta que imita movimentos de animais ferozes, como o tigre, e aves graciosas, tal qual a garça. Carradine diz que o kung fu implica liberdade. "É algo como não ter nada a perder, fazer o que se quiser, sem culpa".A experiência digital revelou-lhe um mundo fascinante. Antes, ele acessava a Internet só para bater-papo e comprar periféricos para seu computador. Agora, como astro on-line, mantém um site, com sua biografia, filmografia e vídeos para download. E diverte-se com seu clone. "O pessoal da Warner me deixou com a cara de moleque: tirou minhas rugas, embelezou meu rosto. É gostoso a gente se ver assim, enxuto", ele se alegra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.