"Kundun" traz um pedaço da Ásia no Itaim

O Kundun é bonito, transado, gostoso, com cozinha eclética, pratos inspirados em vários países da Ásia e tem nas pequenas porções (dim sum) ideais para acompanhar uma cerveja gelada e, nos sushis, os seus pontos altos. Os pratos principais não agradaram tanto.Fachada moderna com muitos vidros e um ambiente gostoso no térreo, com um bar na entrada, mesas espaçosas e uma escada de metal que leva para o andar superior, mais caprichado e preferido pelos clientes. Nele, um sushi bar, três reservados numa lateral e um ambiente com uma mesa grande num canto.O cardápio é realmente variado, propõe pratos identificados como originários de várias regiões da China, Indonésia, Vietnã, Tailândia, Cingapura, Japão e outros assimilando várias tendêmcias (fusion, no cardápio).Da cozinha, são 25 pequenas porções (dim sum, com preços entre R$ 5,50 e R$ 12); seis sopas (entre R$ 2 e R$ 13,50); sete pratos com massas e arroz (entre R$ 2 e R$ 14); quatro grelhados na chapa (teppan, entre R$ 20 e R$ 26,50); 22 sugestões Kundun (entre R$ 14 e R$ 32) e sobremesas. Do sushi bar, a casa propõe três composições de sushi (porções de vários tamanhos, entre R$ 14 e R$ 29); três composições de sashimi (entre R$ 14 e R$ 37); três combinados (entre R$ 27 e R$ 77); oito tipos de sushi em porções de duas unidades (entre R$ 4,50 e R$ 8); nove tipos de temaki (em forma de cone, envoltos em folhas de alga, entre R$ 5 e R$ 9 a unidade); sete do tipo hossomaki (enroladinhos em algas, entre R$ 4,50 e R$ 9) e seis do tipo uramaki (também envoltos em algas, entre R$ 9 e R$ 12).A cozinha fica a cargo da proprietária, Maria Yeh, que é de Taiwan e antes fazia banquetes com pratos asiáticos principalmente. Ela conta ainda com a ajuda da filha, Janete Yeh. Os sushis e sashimis agradaram. Alguns dos bolinhos de arroz vieram um pouco grandes, mas com peixes frescos, gostosos. Muito bons os bolinhos de arroz com fatias de atum, de salmão e robalo. Alga crocante, gostosa, em vários sushis.Nos petiscos, mais altos do que baixos. Apenas as asinhas de frango à Szechuan não foram convenientemente fritas e estavam vermelhas junto aos ossos. Em compensação, ótimos o satay de carne (espetinhos, picantes) e os rolinhos primavera (massa um pouco espessa, mas deliciosa e crocante).Gostoso o teppan de filé (grelhado na chapa), servido com uma deliciosa salada de kani com manga, folhas verdes e um delicioso molho de gergelim. A salada valorizou o prato.Razoável ainda o camarão com lixia. A lixia é uma fruta bastante doce, muito popular na cozinha chinesa. No caso, as lixias com camarões num molho farto e marcante demais de tomate, que acabou dominando o sabor.No mesmo nível, sem muito gosto, insossa, a ?cabeça de leão?, um prato chinês feito com carne moída, lembrando almôndegas e servido com caldo de acelga.Já as costelinhas marinadas com feijão preto estavam fracas. Um prato desagradável e difícil de comer. As costelinhas, pálidas, sem gosto, são feitas ao vapor e cortadas em pedaços de uns dois centímetros, com os ossos. Fica difícil separar a carne na boca e devolver os ossos.O serviço é cordial, mas não deu para julgar sua eficiência porque a casa não estava muito movimentada no dia da visita. Música ambiente alta demais. Café expresso muito bom.Kundum - Rua Horácio Láfer, 362. Tel: 3044-3774

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.