Kovalick estreia 'Os Sabores do Japão' no 'Jornal Hoje'

Além de experiência em reportagens em outros países e conhecimento do idioma local, Roberto Kovalick, correspondente da Globo em Tóquio, precisou de um pouco de coragem para gravar a série "Os Sabores do Japão", que começa a ir ao ar na terça-feira no "Jornal Hoje". No vídeo, o jornalista experimentará receitas exóticas, como um caranguejo gigante de quatro quilos.

AE, Agência Estado

14 de janeiro de 2013 | 09h53

"Dividimos entre a equipe de três pessoas. Era caranguejo que não acabava mais", diverte-se. Entre as iguarias mostradas está o fugu, peixe venenoso que, se não for preparado corretamente, pode ser letal. "Claro que o perigo cria uma certa excitação. Ir a um restaurante de fugu com amigos é sempre animado. Mas o risco praticamente não existe nos restaurantes japoneses porque o treinamento é muito rigoroso", conta ele à reportagem.

Kovalick jura que não teve medo de encarar nada na reportagem. "Todos os pratos foram deliciosos. O melhor foi a carne wagyu, produzida a partir de vacas virgens. A carne se dissolve na boca." Ele guarda más lembranças de incursões longe das câmeras. "A mais estranha foi cérebro de baleia cru, uma experiência que não vou repetir. Mas já comi outras coisas diferentes que se revelaram bem gostosas, como larva de abelha. Por incrível que pareça, é uma delícia", garante. O gaúcho relembra ainda situações inusitadas com a culinária nipônica. "Também comi ovo cozido na boca de um vulcão. O único prato que recusei até agora foi sushi de cavalo. Isso mesmo, carne de cavalo crua."

Do outro lado do mundo, o repórter consegue matar a saudade da comida daqui. "Eu e minha mulher temos amigos que fazem excelentes pratos brasileiros. Uma delas faz a melhor feijoada do mundo, usando ingredientes brasileiros e japoneses. Outra amiga, paraense, nos convida com frequência para um pato no tucupi ou caranguejo com farofa. E de vez em quando rola um churrasco", revela ele, que mudou os hábitos alimentares. "Hoje, sinto mais falta de peixe do que de carne. Ao fazer a série, descobri o poder do umeboshi, a conserva feita a partir de um tipo de ameixa, que era usada pelos samurais para se recuperarem das longas jornadas e batalhas. É uma maravilha para a saúde." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Jornal HojeRoberto Kovalick

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.