Klotzel, por um lugar ao sol

Reflexões de Um Liquidificador pode levar a debate sobre mercado exibidor

Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2010 | 00h00

O fato de ter batido de frente com um blockbuster brasileiro, Se Eu Fosse Você, de Daniel Filho, pode ter inspirado Klotzel a refletir sobre as questões de mercado e propor algo original para o lançamento do seu filme seguinte.

O circuito cinematográfico brasileiro chega às vezes a ser quase que 100% ocupado pelos filmes dos grandes estúdios norte-americanos. Shrek entra em 600 salas; A Origem, em outras tantas. Sobra pouco para o restante. Menos ainda para o cinema independente, e o brasileiro em particular.    

 

 

Do tempo da Onça. Fábula tem como narrador um antigo aparelho avariado

Além disso, Klotzel (e com ele muita gente) já percebeu que a fatia média de mercado que vem sendo ocupado pelos filmes brasileiros, cerca de 10% dos bilhetes vendidos no ano, é preenchida por uns poucos sucessos nacionais. Chico Xavier faz 3,5 milhões de espectadores, mas um êxito de crítica como Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo mal chega aos 25 mil pagantes. Tudo bem, este é um filme muito fora do padrão e destinado a públicos pequenos. Mas obras com potencial de diálogo maior também não vão até aonde poderiam, como Olhos Azuis, de José Joffily, com 14 mil espectadores até agora.

Claro, os filmes médios brasileiros não podem ser comparados a blockbusters. Têm de ser medidos em comparação a outros filmes médios. O Segredo dos Seus Olhos, de Juan José Campanella, vencedor do Oscar, já foi visto por 310 mil brasileiros. Nada mau. É um patamar ao qual podem aspirar produções de bom nível artístico mas de diálogo fácil. Isso não tem acontecido e filmes "populares e inteligentes" como É Proibido Fumar, com 50 mil espectadores, ficam aquém do que poderiam. Parece que é preciso fazer alguma coisa a mais para levar as pessoas ao cinema. É o que Klotzel está propondo. Se vai conseguir ou não é outra história. Mas ninguém poderá dizer que não foi inventivo ou não tentou.

QUEM É

ANDRÉ KLOTZEL

CINEASTA

André Klotzel estreou em 1986 com Marvada Carne. Levou quase dez anos para lançar o segundo, Capitalismo Selvagem (1994). Seu terceiro filme foi a correta adaptação de Memórias Póstumas de Brás Cubas (2001).

 

 

 

REFLEXÕES DE UM LIQUIDIFICADOR

Direção: André Klotzel.

Gênero: Comédia (Brasil 2010, 80 minutos)

Censura: 16 anos

Circuito: Espaço Unibanco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.