Kirov Ballet abre amanhã turnê pelo Brasil

Uma equipe com 300 pessoas, seis contêineres com mais de 70 toneladas de equipamentos, 1.500 trajes e 2 mil sapatilhas. Com essa parafernália dá para se ter uma idéia de como serão as apresentações do Kirov Ballet, que estréia nesta sexta-feira à noite no Festival de Inverno de Campos do Jordão. Quem estiver na serra poderá conferir o programa Gala, uma seleção de trechos de várias coreografias de balés famosos, como Serenade, de Balanchine, Arlequinada, de Petipa, entre outros. Por aí dá para ter uma idéia da qualidade técnica e do peso da tradição dos russos.Para o público brasileiro, que não tem uma companhia especializada nos balés de repertório, essa é uma oportunidade para conferir O Corsário, o popular O Lago dos Cisnes - que será exibido somente para o público paulistano - e Manon.O programa acena para mudanças dentro do tradicional balé, como afirmou o diretor da companhia, Makhar Vaziev, em entrevista recente : "Minha política é a de manter e preservar o que importa e equilibrar isso com a constante introdução de novos trabalhos. O que mais desejo é abrir os horizontes para os bailarinos, levá-los a uma concepção de dança que prime pela riqueza e pela diversidade; isso só é possível por meio da educação."Manon é fruto dessa nova linha de pensamento. Criada por MacMillan, estreou no Convent Garden de Londres em março de 1974. Baseada na obra Manon Lescaut, do francês Abbé Prevost, trata da sociedade corrupta do século 19. A protagonista é uma jovem encantadora, que busca luxo e diversão a qualquer preço.O clássico O Corsário, de Jules Perrot e Marius Petipa - o coreógrafo que moldou o estilo do Kirov dançar -, foi inspirado em um poema homônimo de lorde Byron. A história se passa na ilha grega de Kós, foi apresentada pela primeira vez em janeiro 1856, na Ópera de Paris.Já o badalado Lago dos Cisnes, também de Petipa, estreou em 1877 no Teatro Bolshoi de Moscou. Escrito por Tchaikovski, conta a história de Odette, uma princesa que foi transformada em cisne por um bruxo. À meia-noite, ela volta à forma humana e encontra um príncipe. A poesia desse balé será vista apenas em São Paulo, no Credicard Hall.Temporada - A turnê começa em Campos do Jordão, no encerramento do Festival de Inverno e segue para o Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Os cariocas poderão conferir Manon na quarta e quinta-feira; Gala no dia 3 e O Corsário nos dias 4 e 5. Em seguida, rumam para o Paço das Artes, em Belo Horizonte, de 8 a 12.Em Brasília, na Sala Villa-Lobos, será apresentado somente Manon, de 14 a 16 e, no Recife, no Teatro Guararapes a peça Gala vai ser exibida nos dias 19 e 20. Em São Paulo a turnê será longa: de 23 a 25 o palco do Credicard Hall recebe O Corsário. Dia 26 é a vez de Gala e do dia 30 até 2 de setembro O Lago dos Cisnes. No meio dessa maratona, no dia 28 de agosto, Porto Alegre assistirá a Gala, no Teatro do Sesi.O Kirov veio de uma bem-sucedida temporada em Londres com 30 espetáculos no Convent Garden, com a casa lotada todos os dias. Há três anos, eles estiveram no Brasil com La Bayadre e Giselle e trouxeram com eles o entendimento do balé como patrimônio histórico.Agora retorna ao País com algumas mudanças e a referência do que é ser uma boa escola. Berço para estrelas como Petipa, Fokine, Rudolf Nureiev, Mikhail Baryshnikov e Nathalia Makarova, o Kirov trará como solistas Janna Ayupova, Maya Dumchenko, Uliana Lopatkina e Igor Zelensky, entre outros.História - A fama dos bailarinos russos passou a ser construída a partir dos balés de Diaghilev, quando o mundo pôde conhecer Nijinski e Anna Pavlova. A escola tornou-se referência e símbolo de tradição. Surgiu em 1783, quando Catarina, a Grande inaugurou o Grande Teatro de Pedro, em São Petersburgo. Em 1859 sofreu um incêndio, foi reerguido pelo arquiteto Albert Cavos, passou a chamar-se Teatro Maryisnky. A residência do Kirov Ballet.O nome da companhia é uma homenagem ao líder comunista Serguei Kirov, após a queda do comunismo o Maryisnky voltou a ser o nome oficial. Kirov foi mantido para turnês internacionais.KirovBallet. A companhia apresenta ´Noite de Estrelas´ no 32.º Festival de Inverno de Campos do Jordão. Sexta, às 21 horas. R$ 80,00. Auditório Cláudio Santoro. Avenida Doutor Arrobas Martins, 1.880, tel. (0--12) 262-6000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.