KAZUO OHNO MUDOU A DANÇA NO MUNDO

Quando o japonês Kazuo Ohno morreu aos 103 anos, em 2010, ele já era, havia muito, um mito para a dança mundial. Conhecido em todo o mundo como o grande mestre do butô, técnica de dança que ele ajudou a criar no fim dos anos 1950, quando trabalhou ao lado do diretor Tatsumi Hijikata.

O Estado de S.Paulo

06 de março de 2013 | 02h13

Foi após a grande destruição provocada em seu país pela 2.ª Guerra que o movimento surgiu. Era uma tentativa de reagir à invasão das formas culturais do Ocidente. Recuperava tradições milenares do país, como o teatro Kabuki e Nô, mas também absorvia influências de diversos movimentos artísticos de vanguarda, como o surrealismo e o expressionismo alemão.

Nascido na cidade de Hakodate, em 1906, Ohno era filho de um pescador e de uma instrumentista. Estudou educação física e, durante muitos anos, trabalhou com Hajikata. Só apresentou seu primeiro espetáculo solo, Admirando La Argentina, em 1977. Nessa obra, homenageava uma apresentação da dançarina de flamenco Antonia Mercé y Luque, conhecida como "La Argentina". O impacto da criação foi imediato. Mereceu muitos prêmios no Japão e começou a espalhar a fama de Ohno.

Na década de 1980, sua participação no Festival de Nancy, na França, revolucionaria os rumos da dança contemporânea. E também viria a reverberar no Brasil. O diretor Antunes Filho, que participava daquele festival, acompanhou a apresentação que parecia mesclar teatro e dança. A influência do butô sobre Antunes pode ser percebido em diversos dos seus espetáculos e, em 2008, motivaria a concepção da peça Foi Carmen. / M.E.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.