Katharine, Levada da Breca

Arrebentando em NY

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2012 | 03h12

15H45 NA GLOBO

(Rumble In The Bronx). Hong Kong, 1996. Direção de Stanley Tong, com Jackie Chan, Anita Mui, Françoise

Yip, Bill Tung.

Jackie Chan, que anunciou sua aposentadoria precoce das telas, pode ser (re)visto como aventureiro que chega a Nova York e compra briga com motoqueiros e mafiosos. Pauleira, violência cômica. A série Arrebentando... já havia levado o astro a Barcelona e Roma. Reprise, colorido,

Música e Lágrimas

22 H NA CULTURA

(The Glenn Miller History). EUA, 1953. Direção de Anthony Mann, com James Stewart, June Allyson, Barton MacLane, Charles Drake, Sig Ruman, Louis Armstrong, Harry Morgan, George Tobias, Irving Bacon.

O diretor Mann e o astro James Stewart são lembrados pelos cinéfilos pela memorável série de westerns que fizeram nos anos 1950. Entre um bangue-bangue e outro fizeram também essa cinebiografia do bandleader Glenn Miller, cuja orquestra - e hits como Moonlight Serenade - forneceram a trilha para muitos romances nos anos 1940. O filme centra-se no conceito de família - a musical e a que Stewart/Miller forma com June Allyson. Leonard Maltin não exagera ao dizer, em seu guia, que a música é, aqui, a verdadeira estrela. Reprise, colorido, 116 min.

Meu Reino por Um Amor

23 H NA REDE BRASIL

(The Private Lives of Elizabeth and Essex). EUA, 1939. Direção de Michael Curtiz, com Bette Davis, Errol Flynn, Olivia de Havilland, Donald Crisp, Alan Hale, Vincent Price.

O diretor Curtiz e o astro Errol Flynn também formaram uma sólida parceria nos anos 1930 e 40, mas aqui tudo gira em torno de Bette Davis como a rainha Elizabeth (a 1ª). O filme trata do romance de Elizabeth com Robert Devereaux, conde de Essex, o personagem de Flynn. Ele não retribui, e vira uma obsessão para a mulher poderosa. O luxo da produção da Warner, o carisma do elenco, tudo prende o olho do espectador, mas como História é nulo (ou quase). Veja como ficção delirante. Reprise, colorido, 106 min.

A Visão de Dentro - O Homem e a Terra

0H30 NA TV BRASIL

Brasil, 2010. Direção de Sophia Mídian.

Documentário que olha, de dentro, o movimento dos sem-terra. Baderneiros, arruaceiros? O retrato é outro. Reprise, colorido, 52 min.

Sherlock Holmes e a Arma

Secreta

4H25 NA REDE BRASIL

(Sherlock Holmes and The Secret

Weapon). Inglaterra, 1942. Direção de Sherlock Holmes, com Basil Rathbone, Nigel Bruce, Lionel Atwill.

Aventura que integra a série de adaptações de Conan Doyle feita com Basil Rathbone no papel do célebre mestre da dedução. Como parte do esforço de guerra, Sherlock combate o professor Moriarty, aliado dos nazistas, que sequestrou cientista, a fim de forçá-lo a construir, para o Reich, a arma que poderá decidir o conflito. Embora antigão, o filme tem charme, mas propõe um Sherlock - e um Watson - muito diferentes dos de Robert Downey Jr. e Jude Law na série de Guy Ritchie. Reprise, preto e branco, 68 min.

TV Paga

Levada da Breca

14 H NO TCM

(Bringing up Baby). EUA, 1938. Direção de Howard Hawks, com Cary Grant, Katharine Hepburn, Charlie Ruggles, Barry Fitzgerald, Ward Bond.

Nada como o tempo para recolocar as coisas em perspectiva. Quando estreou, há mais de 70 anos, este filme não agradou particularmente ao público - nem à crítica. Hoje, é considerado o exemplo máximo da screwball comedy, além de um dos filmes mais 'rápidos' já feitos. O diálogo jorra como uma metralhadora disparando humor quando a herdeira Katharine Hepburn entra na vida do zoólogo Cary Grant. Ela tem um leopardo de estimação chamado 'Baby', Grant está tentando montar o quebra-cabeça de reconstituir o esqueleto de um dinossauro. O que se segue é, realmente, uma obra-prima de humor. Hawks, um dos grandes - maiores - de Hollywood, brilhou no cinema de gêneros - comédias, westerns, filmes noir, de gângsteres. Reprise, preto e branco, 102 min.

O Inferno de Henri-Georges

Clouzot

17 H NO TELECINE CULT

(L'Enfer de H.G. Cluzot). França, 2009. Direção de Serge Bromberg.

O último filme de Clouzot, o inacabado O Inferno, com Romy Schneider e Serge Reggiani, virou uma obra cult cujo roteiro, retomado por Claude Chabrol, produziu um drama sombrio com Emmanuelle Béhart e François Cluzet (o astro do maravilhoso Intocáveis, em cartaz nos cinemas) - Ciúme - O Inferno do Amor Possessivo. O diretor Bromberg teve a ideia de se apropriar das imagens e sons de Clouzot, preenchendo os vazios - o que não havia sido filmado na época - com a encenação de atores como Bérénice Béjo e Jacques Gamblin. O resultado produz estranhamento. Reprise, colorido, 94 min.

Através da Janela

19 H NO CANAL BRASIL

Brasil, 2000. Direção de Tata Amaral, com Laura Cardosdo, Fransérgio Araújo, Ana Luiza Torre.

Mãe e filho numa relação complicada de amor, ódio - e desejo. Grande atuação de Laura Cardoso. Reprise, colorido, 82 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.