Kate Moss volta às campanhas publicitárias da Burberry

A modelo Kate Moss voltou às campanha publicitárias da marca inglesa de roupas Burberry, após ter tido seu contrato cancelado há nove meses, quando foi acusada de consumo de drogas. A modelo britânica aparece ao mesmo tempo como protagonista da mostra de escultura e pintura de Marc Quinn, exposta na Galeria Alessandra Bonomo, em Roma.Kate, de 32 anos, aparece com um impermeável branco no anúncio da Burberry para o outono-inverno 2006-2007, em um dos anúncios divulgados nesta segunda-feira para festejar o aniversário de 150 anos da casa de modas.Filmado em preto-e-branco com uma paisagem urbana de Londres de fundo, a top é fotografada por Mario Testino, nos anúncios que trazem também personalidades como a modelo Penelope Tree e o ator Max Irons,filho de Jeremy Irons. A Burberry se distanciou de Kate Moss em setembro, poucos dias após o diário sensacionalista The Daily Mirror publicar fotos da modelo supostamente cheirando cocaína. A empresa abandonou seus planos de incluir a modelo na propaganda da temporada de outono de 2005 e os cartazes em que ela aparecia foram retirados do comércio principal.Kate perdeu ainda milhões de dólares em contratos com a Chanel, H&M e Gloria Vanderbilt.Após desculpar-se publicamente "diante de todas as pessoas às quais enganei", internou-se em uma clínica de reabilitação no Arizona e retornou à sua carreira internacional, fechando novos contratos com a Calvin Klein, Virgin Mobile e Longchamp. Kate Moss inspira mostra de Marc Quinn A modelo britânica Kate Moss é a protagonista da mostra de escultura e pintura de Marc Quinn, exposta na Galeria Alessandra Bonomo, em Roma, a partir de hoje.Trata-se de uma nova iniciativa de Quinn, célebre expoente da "Brit Art", que em 22 de junho inaugurou uma exposição pessoal no Museu de Arte Contemporânea de Roma. Na mostra, Kate Moss foi retratada como uma Vênus moderna, em posições de contorcionista ou escondida, para mostrar a transformação do corpo e a negação da beleza ideal.A exposição permanece em cartaz até o dia 30 de setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.