Justiça rejeita apelo de mãe de Anna Nicole Smith

A Justiça americana rejeitou na quarta-feira, 28, um apelo da mãe da ex-coelhinha da Playboy Anna Nicole Smith, Virgie Arthur, para impedir seu sepultamento nas Bahamas, o que abre caminho para o fim da batalha jurídica pelo corpo em decomposição. Um tribunal de West Palm Beach, na Flórida, rejeitou o pedido de Virgie para reverter sentença de instância inferior que dava a custódia sobre o corpo de Anna Nicole para uma pessoa nomeada pela corte como guardiã da filha da estrela, Dannielynn, de 5 meses. A decisão aparentemente encerra três semanas de idas e vindas jurídicas em torno do corpo da ex-modelo, que era dançarina em uma boate quando conheceu o bilionário do petróleo J. Howard Marshall, então com 89 anos, com quem ela se casou pouco tempo depois. Anna Nicole foi achada morta em 8 de fevereiro, aos 39 anos, na suíte de um hotel-cassino da Flórida. O enterro agora está marcado para sexta-feira nas Bahamas. Virgie queria sepultar a filha no seu Texas natal, embora ambas tivessem rompido ligações há uma década. O corpo de Anna Nicole continua no IML de Dania Beach, na Flórida. Não há informações oficiais sobre como será a remoção para as Bahamas. Polêmica da paternidade Também na quarta-feira, outro tribunal, de Fort Lauderdale, rejeitou um pedido de Larry Birkhead, ex-namorado de Anna Nicole, que solicitava que a Justiça da Flórida decidisse sobre a paternidade de Dannielynn. O juiz Lawrence Korda decidiu devolver o caso à Califórnia, onde Birkhead abriu o processo de paternidade, e negou autorização para que Birkhead tivesse acesso a amostras de DNA do corpo de Anna Nicole. O advogado Howard K. Stern, que vivia com Anna Nicole, aparece na certidão de nascimento como pai de Dannielynn. Ele insiste que a modelo seja enterrada no cemitério Lake View, em Nassau, capital das Bahamas, junto ao túmulo sem identificação onde está sepultado Daniel, de 20 anos, filho de Anna Nicole morto há cinco meses no hospital de Nassau, dias depois de ela dar à luz Dannielynn. O legista Joshua Perper, responsável pelo caso da modelo, disse na quarta-feira a uma TV que ainda não sabe o que matou Anna Nicole e que os exames toxicológicos vão demorar cerca de dez dias. O espólio de Anna Nicole pode valer milhões de dólares caso seus representantes vençam uma outra batalha jurídica, pela herança deixada pelo bilionário Marshall.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.