Justiça proíbe venda de pertences de Paris Hilton em site

Um juiz federal norte-americano ordenou a um site que suspenda a venda de fotografias, vídeos, diários e outros artigos pertencentes a Paris Hilton.A herdeira dos hotéis Hilton entrou na Justiça no mês passado contra o ParisExposed.com, pois, segundo ela, a página havia explorado com fins comerciais seus pertences, incluindo um vídeo onde ela aparece tomando banho de espuma.A ordem judicial, emitida na sexta-feira, 2, proíbe temporariamente que o site divulgue dados pessoais da milionária, como o número de seu seguro social e informações relacionadas a sua saúde.O porta-voz de Paris, Elliott Mintz, se mostrou satisfeito pela decisão judicial. "Sei bem o que isso está causando a Paris no aspecto profissional e emocional", disse Mintz. "Esta é a invasão mais perturbadora à privacidade de uma figura pública que já testemunhei."O site, disponível apenas a assinantes, foi aberto no mês passado e assegura que, entre outros itens à venda, possui fotos da jovem de 25 anos "em situações atrevidas".Paris disse que os pertences disponíveis no endereço virtual tinham sido enviados para um armazém particular há dois anos, quando ela e sua irmã Nick se mudaram de uma casa que tinha sido roubada.Dois suspeitos teriam pago US$ 2.775 pelo conteúdo do armazém em um leilão público e revendido os itens ao criador do site, o empresário Bardia Persa, por US$ 10 milhões. Persa deverá prestar depoimento no dia 16 deste mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.