Justiça libera embarque de altar-mor para NY

A pressão do presidente Fernando Henrique Cardoso e do ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer, funcionou e o presidente em exercício do Tribunal Regional Federal (TRF-5. Região), desembargador federal Ubaldo Cavalcanti, suspendeu hoje à noite a liminar que impedia o embarque do altar-mor do mosteiro de São Bentode Olinda para Nova York. O altar será embarcado nesta quarta-feira pela manhã. O desembargador havia anteriormente determinado a permanência da peça sacra em Olinda. Ele voltou atrás da decisão alegando a preocupação expressa pelo presidente e pelo ministro. Segundo Lafer, anão-participação da peça barroca do século 18 na exposição Brasil de Corpo e Alma, no Museu Guggenheim de Nova York comprometeria a imagem do Brasil junto aos Estados Unidos. O embarque estava previsto para o dia 20 de setembro, tendo sido suspenso pela justiça federal que acatou pedido do Ministério Público Federal, alegando insegurança diante dos ataques terroristas aos Estados Unidos. Vários recursos foram interpostos, mas a decisão vinha sendo mantida e a peça não era liberada. O altar-mor será a principal atração da exposição que será inaugurada neste mês. A peça estava se deteriorando pela ação do tempo e dos cupins e foi restaurada num trabalho que durou sete meses e envolveu 30 restauradores. O custo da restauração foi de mais de R$ 600 mil e foifinanciado pelo Guggenheim.

Agencia Estado,

02 de outubro de 2001 | 21h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.