Reprodução/ BBC
Reprodução/ BBC

Justiça dá vitória a Hugh Grant em caso de grampo telefônico

Ator britânico foi uma das vítimas do escândalo envolvento o tabloide 'News of the World'

REUTERS

20 de julho de 2011 | 10h40

Um juiz da Alta Corte britânica ordenou na quarta-feira, 20, que a polícia entregue ao ator Hugh Grant ou à sua ex-namorada Jemima Khan informações que demonstrem que telefonemas entre ambos foram interceptados por um detetive particular a serviço do jornal News of the World.

A decisão do juiz Geoffrey Vos foi tomada ao final de uma audiência de 20 minutos, na qual nem Grant nem Khan estavam presentes, segundo a agência Press Association.

O casal se separou em 2007, após três anos de relacionamento.

Grant tem sido um crítico feroz da empresa News Corp desde a revelação, no começo do mês, de que jornais do grupo teriam grampeado caixas postais telefônicas de centenas de personalidades britânicas. Ele participa do grupo Hacked Off ("hackeados"), que cobra punições exemplares aos casos de espionagem pelos jornais.

Vos disse que a polícia deve divulgar informações relacionadas às mensagens supostamente interceptadas pelo detetive Glenn Mulcaire, e que foram usadas pelo News of the World e outros jornais.

A News Corp proprietária do News of the World, tabloide de maior circulação na Inglaterra durante vinte anos, tirou o centenário jornal de circulação no início do mês por causa do escândalo de grampos telefônicos.

(Reportagem de Mike Collett-White)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEGRANTESPIONAGEM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.