Juscelino Kubitschek é tema de mostra na FAAP

Ele não só construiu Brasília e modernizou a indústria brasileira. Juscelino Kubitschek foi o responsável pelo principal evento artístico brasileiro depois da Semana Moderna de 22: Arte Moderna 1944, em Belo Horizonte. Este é o principal fio condutor da exposição O Olhar Modernista de JK, que abre dia 13, na FAAP. Esta deve ser a principal estréia deste período de "ano novo pós-Carnaval". A mostra será dividida em núcleos e mostrará, além da exposição de 1944, a relação de JK com artistas, sua vida, trajetória política, entre outros aspectos. Objeto de minissérie exibida pela Rede Globo, e referência constante para os políticos da nossa época - estejam eles em campanha ou não -, o ex-presidente, acima de tudo, ajudou a moldar a visão de um país otimista e criativo, como propõe revelar a exposição da FAAP. Um outro evento que deve sacudir o mundo das artes plásticas paulistanas é a troca de artistas entre as galerias Fortes Vilaça e a Choque Cultural. A primeira conta em seu catálogo com nomes famosos como Adriana Varejão e Vik Muniz. Já a segunda é simplesmente o principal reduto da chamada arte de rua da cidade, sob os cuidados de Baixo, Mariana e Jotapê Bapst. Por fim, a artista plástica e fotógrafa Marie Ange Bordas deverá emocionar os visitantes com a exposição Deslocamentos, na Caixa Cultural. Ela passou três anos registrando a vida de refugiados em campos e albergues da África do Sul, França e Quênia. O evento terá fotos e instalações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.