Júri de Gramado terá assinante do ‘Estadão’

Pelo segundo ano consecutivo, leitores de grandes jornais formarão ‘júri popular’ da mostra gaúcha

Dib Carneiro Neto, Editor do Caderno 2,

07 de julho de 2017 | 01h08

Neste mês, pela segundo ano consecutivo, o Estado vai escolher um assinante para participar do júri popular do Festival de Cinema Brasileiro e Latino de Gramado, que se realizará entre os dias 12 e 18 de agosto. A organização do evento gaúcho vai conceder ao assinante do jornal uma viagem de ida e volta à cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul, composta por passagem aérea (SP-Porto Alegre-SP) em classe econômica, hospedagem completa e despesas alimentares com café da manhã, almoço e jantar (sem direito a acompanhante). Tanto o bilhete quanto a hospedagem não são transferíveis e não têm valor monetário. As reservas serão feitas pela organização do festival e comunicadas ao vencedor por e-mail. A decisão de mudar o formato da escolha do júri popular foi tomada no ano passado e deu muito certo, recebendo elogios de público e crítica. Antes disso, esse voto era dado pelo público que assistia aos filmes diariamente, sem nenhum critério formal de avaliação. Muitas vezes havia a reclamação de que determinado diretor era premiado por ter mais amigos na platéia. A intenção é tornar o júri popular o mais isento possível, por isso a idéia de escolher os jurados por meio de concursos nos principais jornais de nove localidades brasileiras. De São Paulo, o Estado foi o único escolhido. No Rio Grande do Sul, a parceria foi feita com Zero Hora e Pioneiro. Em Santa Catarina, com o Diário Catarinense. No Paraná, Gazeta do Povo. No Rio, Jornal do Brasil. E mais: Estado de Minas, A Tarde (Bahia), Diário de Pernambuco e Tribuna do Norte (Rio Grande do Norte).  Para participar, os assinantes do Estado deverão responder à seguinte pergunta: "De qual filme brasileiro, exibido nos cinemas em 2007, você mais gostou - e por quê?" Como no ano passado, a única forma de participação é pelo e-mail concurso.gramado@grupoestado.com.br. E o prazo para envio dos e-mails é curto: de hoje até à meia-noite de domingo (dia 22). Juntamente com a resposta à pergunta acima (não ultrapassar 2.000 caracteres, incluindo os espaços em branco), o participante deverá informar seus dados pessoais (nome, idade, RG, CPF), endereço da assinatura e código de assinante do jornal (apenas se souber; pois não é obrigatório fornecer). Só poderá participar quem assina o jornal há pelo menos um mês. Não é necessário que o interessado seja o assinante titular, mas deve ser morador do endereço que consta na assinatura. Também não podem participar menores de 18 anos.  Jornalistas do Caderno 2 vão ler todos os e-mails e selecionar apenas um deles. Os critérios de avaliação serão clareza, objetividade e criatividade na resposta, bem como correção ortográfica. Não se levará em conta a escolha do filme, nem será feito nenhum juízo de valor na avaliação crítica do participante. A opinião do leitor-assinante sobre o filme escolhido - seja positiva ou negativa - não importará para o concurso, apenas sua forma e força de argumentação. Não podem participar funcionários do jornal nem seus parentes. O prêmio não inclui taxas de embarque, despesas decorrentes de alterações na reserva aérea original, seguro-viagem, passaporte, alimentação ou outras despesas de caráter pessoal, ficando tais despesas por conta do(a) ganhador(a). O vencedor do Estado será anunciado entre os dias 25 e 30 deste mês e, uma vez escolhido, obriga-se a cumprir a agenda de julgamentos de filmes determinada pela produção do festival, sob pena de ser excluído do corpo de jurados. O eleito receberá treinamento com o júri oficial, para saber quais critérios deverão ser avaliados em cada filme. No ano passado, a historiadora Angela Marques da Costa foi a assinante escolhida pelo Estado para representar o jornal no júri popular. "Eu nunca tinha vivido uma semana inteira só em função de cinema. Foi uma experiência muito interessante", Angela avaliou, em entrevista ao Caderno 2, na volta de sua maratona de cinéfila. "Estimular a cinefilia é uma coisa tão importante que deveria estar na origem, ou raiz, de todo grande festival. O cinéfilo é, por princípio, aquele que ama o cinema, mas não basta fruir os filmes - é importante discuti-los, no seu duplo aspecto, como arte e indústria", avalia Luiz Carlos Merten, crítico de cinema do Caderno 2.

Tudo o que sabemos sobre:
Festival de Gramadojúri popular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.