Jum Nakao mostra moda sem pretensão

Jum Nakao fez a terceira apresentação do terceiro dia de SPFW e encarou a dura tarefa de vir na seqüência de Alexandre Herchcovitch e Lino Villaventura, dois nomes que sempre seguram na passarela a fama que têm. Uma das principais virtudes de Jum Nakao é não ser pretensioso, o que faz dele ? e de sua coleção, algo sempre dentro da medida, nem mais, nem menos. Ele abriu a cena com modelos sobre patins, com vestidos vermelhos, ao som de sininhos como caixinhas de música. O trabalho de renda lembra o das toalhinhas de plástico, só que coloridas. A primeira parte do desfile veio com recortes arredondados nas regatas e nos bolsos das calças, com sobreposições de pedaços de roupas. O problema é o excesso de diminutivos que a coleção invoca. Tudo é muito ?inho?. Bonitinho, certinho, engraçadinho... A segunda parte da apresentação foi mais forte, com os pretos entrando em cena e dando origem a bons grafismos e trabalhos com texturas. Jum Nakao tem uma leveza de estilo, faz coleções sempre muito amorosas. Combina com ele, e seu jeito tristonho de agradecer os aplausos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.