Julia Roberts volta aos cinemas em 'Comer, Rezar, Amar'

Como todas as mulheres provavelmente já sentiram um dia, Elizabeth Gilbert viu-se incomodada com seu casamento, carreira, cotidiano. Mas em vez de apenas respirar mais fundo e encarar a rotina, decide fazer o que muitas apenas sonham: larga o marido, suspende responsabilidades, deixa o emprego e sai de viagem para um ano sabático. "Comer, Rezar, Amar" resume sua aventura por novos lugares, sabores, amores e sensações.

AE, Agência Estado

01 de outubro de 2010 | 09h04

Nas mãos do diretor Ryan Murphy (roteirista das séries de TV a cabo "Glee" e "Nip/Tuck"), o livro best-seller de Gilbert - que já ultrapassou a venda de 4 milhões de exemplares - tem à frente uma divertida e encantadora Julia Roberts, como uma escritora amargurada com a vida. A motivação para jogar tudo para o alto, curiosamente, não envolve grandes dilemas ou traumas sequer, apenas o tédio e uma leve tendência para relacionamentos equivocados.

Antes de fazer as malas, Liz se refugia num namoro com um ator mais jovem (James Franco), o que só torna maior a necessidade de uma guinada. Ela estabelece um roteiro por Itália, Índia e Indonésia, países que começam com a letra "I", que em inglês também designam a primeira pessoa, "eu". Na sua primeira parada, Roma, a americana se deslumbra com a culinária local, já que aparentemente não se faz em pizzas decentes nos Estados Unidos. Muito menos sorvete. Com ajuda de uma simpática turma de italianos, Liz vai se virando no idioma e dá início a uma longa série de clichês sobre o país do ''dolce far niente'': italianos falam com as mãos, italianos são apaixonados por futebol, e italianos, claro, amam as suas deliciosas pizzas.

Alguns quilos depois, que não comprometem a silhueta de Julia Roberts, Liz desembarca na Índia com o objetivo de encontrar paz interior. Ao menos na teoria. Na prática, felizmente, a viajante descobre que meditar envolve mais do que recitar mantras de pernas cruzadas numa língua desconhecida. No centro espiritual, ela conhece Richard (Richard Jenkins), conterrâneo que procura libertar-se de problemas de verdade, com quem compartilha ótimas cenas.

Finalmente, a terceira e última parada de Liz em sua viagem é Bali, na Indonésia, onde ela vai em busca de um guru que lhe dá conselhos de ordem sentimental. E eis que surge Felipe, um brasileiro com um sotaque equivocadamente luso interpretado pelo charmoso Javier Bardem, para encerrar a jornada com algum romantismo. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaJulia RobertsComerRezarAmar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.