Julho é mês de tragédias para a TV

Em 9 de julho de 1960, dez anos após a inauguração da TV Tupi, entrou no ar a TV Excelsior. A trajetória das duas emissoras pioneiras da televisão no Brasil sempre esteve relacionada uma com a outra, inclusive nos momentos ruins. No dia 17 de julho de 1970, há 30 anos, a TV Excelsior enfrentava sua maior tragédia, o incêndio que em seis horas destruiu todos os seus equipamentos, assim como o arquivo de uma década de história. Embora tenha sido um dos mais comentados incêndios ocorridos dentro de um estúdio de televisão, não foi o primeiro: até essa data, outros sete incêndios já haviam ocorrido em várias emissoras, dois deles, inclusive, no mesmo dia (em 13/7/69, nos canais 5 e 7, emissoras que depois transformariam-se em "Globo" e "Record", respectivamente).O fogo na Excelsior teve início em um dos estúdios, onde era gravado o programa policial Asfalto Paulista. Em poucos minutos espalhou-se por todos os departamentos, causando pânico geral entre todos os funcionários que estavam no local. Duas horas depois do início do incêndio, quando imaginavam que o fogo já estava sob controle, os funcionários conseguiram colocar a emissora novamente no ar, mostrando parte da tragédia que marcaria para sempre a vida de todos eles. Sem camisa e coberto de fuligem, o então diretor Gonzaga Blota entrou ao vivo para explicar ao público o que tinha acontecido na emissora. Enquanto narrava o acidente e assegurava que a TV iria continuar com suas atividades apesar do triste ocorrido, Blota foi surpreendido por uma equipe da concorrente Bandeirantes, que chegou ao local para prestar solidariedade e oferecer o equipamento para que a emissora continuasse funcionando normalmente. Ação na justiça - O mês de julho também marcou o fim da TV Tupi, anunciado dez anos após o incêndio da Excelsior, em 16 de julho de 1980, quando o então presidente João Figueiredo decidiu pela extinção de sete dos nove canais comandados pelo Diários Associados. A decisão foi tomada diante das constantes dificuldades do grupo em manter em dia os salários dos funcionários e pagar os inúmeros títulos devidos aos órgãos públicos. Além dos salários atrasados, funcionários do grupo espalhados por todo o País ficaram sem receber nenhum de seus direitos na época. Todos os lesados entraram com uma ação na Justiça, mas somente em maio deste ano, 869 ex-funcionários da Tupi receberam suas indenizações, pagas por Silvio Santos (que em 81 assumiu as dívidas da extinta emissora pelo SBT para receber a concessão do canal). A apresentadora Ana Maria Braga e a atriz Georgia Gomide foram duas das beneficiadas com o pagamento, que não chegou a tempo para 115 funcionários, já falecidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.