Julgamento de Polanski pode trazer nova estratégia para a defesa

Advogados do diretor Roman Polanski retornam ao tribunal em Los Angeles na quarta-feira e devem detalhar os próximos passos na tentativa de resolver uma acusação de abuso sexual que já dura 30 anos contra o diretor e vencedor do Oscar por "O Pianista".

JILL SERJEANT, REUTERS

06 de janeiro de 2010 | 09h46

Os advogados de Polanski se negaram na terça-feira a discutir suas intenções, mas a audiência, agendada inesperadamente, segue uma sugestão do tribunal da Califórnia no mês passado de que Polanski poderia solicitar o julgamento em ausência, pela acusação de 1977 de ter tido relações sexuais realizadas ilegalmente com uma menina de 13 anos.

Polanski, 76 anos, está sob prisão domiciliar na Suíça lutando contra a extradição para os Estados Unidos. Ele fugiu dos EUA antes do julgamento em 1978, mas após alegação de culpa, passou a maior parte dos últimos 30 anos vivendo e trabalhando na França.

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEPOLANSKIJULGAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.