Julgamento de Dan Brown é adiado para terça-feira

O julgamento de Dan Brown, autor do best-seller O Código Da Vinci que está sendo acusado de plágio, foi adiado para a próxima terça-feira. Michael Baigent e Richard Leigh, autores de Holly Blood, Holly Grail (O Santo Graal e a Linhagem Sagrada), afirmam que Dan Brown copiou a tese central do livro que escreveram em 1982. O juiz quer tempo para estudar as duas obras e analisar se realmente houve plágio.Os autores, que processaram sua própria editoria, Random House, que publicou também O Código Da Vinci, colocam em sua obra que Jesus sobreviveu à crucificação e casou com Maria Madalena. Segundo essa teoria, seus descendentes se casaram com reis franceses e há uma sociedade secreta na França que pretende repor essa linhagem não só no trono desse país, mas também de outras nações européias. Dan Brown trata de uma idéia similar em seu romance, traduzido para 44 idiomas - ele vendeu mais de 40 milhões de exemplares no mundo todo.Na segunda sessão do julgamento, no Tribunal Superior de Justiça, o advogado que representa a editoria, John Baldwin, disse que Michael Baigent e Richard Leigh "pretendiam monopolizar uma informação que já é de domínio público".Ele acrescentou que em O Código Da Vinci não aparecem duas idéias centrais de O Santo Graal e a Linhagem Sagrada: a existência de uma sociedade secreta que pretende restaurar os descendentes de Jesus nos tronos europeus e o fato de que a crucificação de Jesus foi falsa e ele conseguiu sobreviver.Se os escritores tiverem sucesso e optarem por obter um mandamento judicial, podem suspender a estréia britânica do filme baseado no best-seller de Dan Brown, prevista para o dia 19 de maio. O filme é estrelado pelos atores Tom Hanks e Ian Mackellen.

Agencia Estado,

28 de fevereiro de 2006 | 16h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.