Juiz mantém a licença de médico de Michael Jackson

MÚSICA

, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2010 | 00h00

Conrad Murray, médico que cuidava de Michael Jackson (foto) quando o cantor morreu (25 de junho de 2009) conseguiu manter sua licença médica e poderá seguir com suas atividades profissionais. A decisão foi anunciada ontem pelo juiz do Tribunal Superior Michael Pastor. Anteontem, Jackson e Aretha Franklin foram homenageados e entraram na lista do Salão de Lendas do Apollo Theater, em NY. Assim, os dois se unem a outras estrelas no salão, que é reservado aos grandes nomes da música negra, como Quincy Jones, Patti Labelle, Smokey Robinson, James Brown, Gladys Knight e Ella Fitzgerald. Quase um ano após sua morte, Jackson continua a ser foco de lançamentos de produtos que levam o seu nome. Nesta segunda, o fabricante de videogames francês Ubisoft anunciou em Los Angeles que apresentará no fim do ano um jogo que vai ensinar os usuários a dançar como o Rei do Pop. O anúncio se limitou a uma coreografia de Beat It realizada por dançarinos que participaram dos ensaios da turnê This Is It que o cantor preparava quando morreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.