Juiz critica promotoria no caso da morte de Anna Nicole

Juiz critica promotoria no caso da morte de Anna Nicole

Atriz norte-americana faleceu na Flórida em 2007 por overdose de medicamentos

REUTERS

28 de setembro de 2010 | 11h40

O juiz encarregado do caso da atriz norte-americana Anna Nicole Smith, morta em 2007 por overdose de medicamentos, criticou os promotores pelo modo agressivo como buscaram a condenação de três pessoas acusadas de terem manipulado a vítima com prescrição de drogas.

As duas partes expuseram seu lado depois de quase dois meses de julgamento, durante o qual os promotores apresentaram numerosas testemunhas cujas depoimentos os advogados de defesa tentaram intensamente desacreditar. Todos os três acusados se declararam inocentes.

O juiz Robert Perry, da Corte Superior de Los Angeles, definiu o caso como "promotoria novelesca", na qual várias alegações e evidências são apresentadas "contra esses réus na esperança de que alguma prospere".

Os comentários foram feitos num momento em que o juiz avalia reduzir ou desconsiderar algumas das acusações contra o ex-namorado da atriz, o advogado Howard k. Stern, e dois médicos, Khristine Eroshevich e Sandeep Kapoor.

Promotores alegam que Stern, Eroshevich e Kapoor se uniram na prescrição de medicamentos contra Anna Nicole, que era dependente dessas drogas e faleceu aos 39 anos, em fevereiro de 2007, na Flórida, de overdose acidental.

Eles não são acusados de causarem diretamente a morte dela.

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEANNANICOLE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.