Juiz bloqueia leilão de obra de Picasso

Um juiz de Nova York bloqueou o leilão do quadro Ángel Fernández de Soto, do pintor espanhol Pablo Picasso, depois de o herdeiro de um banqueiro alemão de origem judaica denunciar que foi obrigado pelos nazistas a vender a obradurante a II Guerra Mundial. A tela, avaliada entre US$ 40 e 60 milhões, seria leiloada na casa Christie´s de Nova York, na próxima quarta-feira. O juiz Jed S. Rakoff emitiu a ordem depois de Julius Schoeps, herdeiro do banqueiro Paul von Mendelssohn-Bartholdy, pedir obloqueio da venda da obra. Ela pertence a uma fundação liderada pelo compositor britânico Andrew Lloyd Weber, e foi comprada em 1995 porUS$ 29,1 milhões. Fontes judiciais disseram que o leilão foi suspenso até a próxima audiência, possivelmente nesta terça-feira. A obra foi pintada em 1903, durante a Fase Azul de Picasso. O retrato é de Ángel Fernández de Soto, um amigo íntimo do pintor com quem ele dividiu um apartamento em seus anos de juventude. Segundo o processo, Mendelssohn-Bartholdy possuía uma das maiores coleções particulares da Europa, com telas de Picasso, Van Gogh,Renoir e Monet. Antes de morrer, em 1935, o banqueiro foi vítima de uma campanha de intimidação nazista e se viu obrigado a abandonarsua mansão e a vender as obras. Em setembro de 1936, o marchand Justin Thannhauser vendeu a obra a uma empresa de Nova York. Ela esteve no mercado até 195, quando foi comprada num leilão da casa Sotheby´s por Lloyd Weber, autor demusicais como Evita, Cats e O Fantasma da Ópera.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.