Jovens exploram cidade abandonada no longa 'Chernobyl'

Estava demorando para que o acidente nuclear em Chernobyl virasse terror juvenil. Demorou mas chegou. Em "Chernobyl - Sinta a Radiação", de Bradley Parker, a desolação causada pelo vazamento atômico é palco para mais uma série de sustos e situações inverossímeis que são marcas registradas desses filmes.

AE, Agência Estado

23 Julho 2012 | 10h31

A história é a de um grupo de jovens que resolve encerrar a viagem à Europa com chave de ouro. Um deles ouve falar de uma agência de turismo radical, que pode levá-los à experiência inusitada. A "agência", na verdade, é de um homem só, um certo Uri (Dimitri Diatchenko), ex-soldado, que os conduz numa van a uma cidade ucraniana, Pripyat, na qual viviam os trabalhadores da usina e que teve de ser abandonada às pressas assim que o acidente aconteceu. Tornou-se uma cidade fantasma, uma espécie de Pompeia da era atômica.

A turma que vai à expedição da cidade fantasma da antiga URSS é composta por um grupo de jovens americanos, Chris (Jesse McCartney) e sua namorada Natalie (Olivia Taylor Dudley), Paul (Jonathan Sadowski) e Amanda (Devin Kelley), ao qual se junta um casal formado pela norueguesa Zoe (Ingrid Berdal) e o australiano Michael (Nathan Philips).

O que seria apenas um passeio um tanto diferente ganha outra dimensão quando o grupo se vê impedido de entrar na cidade por policiais. Mas Uri conhece uma passagem clandestina e aventura-se. Lá dentro, uma série de incidentes obriga os turistas a permanecer mais tempo do que seria razoável e então tudo começa a acontecer.

Bem, pelo menos tudo o que a imaginação de quem escreveu e dirigiu o filme foi capaz de bolar, o que não significa lá grande coisa. Os sustos são previsíveis desde o início, mas um ou outro podem funcionar para plateias mais desavisadas. Em especial porque o clima visual, de penumbra levemente enevoada, evoca certa fantasmagoria propícia ao medo teen. Mas, daí para frente, tudo começa a derrapar e escorrega por fim aos clichês mais óbvios dos filmes do gênero - sustos tolos, o suspense criado por algo que se esconde atrás de portas e que não se deixa ver de imediato, etc. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

CHERNOBYL - SINTA A RADIAÇÃO

Direção: Bradley Parker

Gênero: Terror (EUA/2012, 90 min.)

Classificação: 14 anos.

Mais conteúdo sobre:
cinema Chernobyl

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.