José Saramago diz que ler é hábito de uma minoria

O escritor português José Saramago, Prêmio Nobel de Literatura de 1998, detonou uma polêmica hoje, após afirmar em um debate, que a leitura "sempre foi e será prática de minorias", no momento em que o governo prepara um programa nacional para estimular o hábito de leituraA ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, de declarou a uma emissora de rádio que estava "surpresa" pelas declarações de Saramago, pois o escritor é uma das personalidades que aceitou integrar a Comissão de Honra do Programa Nacional de Leitura.Saramago participou ontem à noite de um debate na Biblioteca Municipal de Oeiras (na periferia de Lisboa) e disse que "as coisas andam mal quando é necessário estimular a leitura, porque ninguém precisa estimular o futebol!, que tem por trás "uma fabulosa operação de marketing"."Não vale à pena o voluntarismo, é inútil, ler sempre foi e sempre será coisa de uma minoria. Não vamos exigir que todo de todo mundo a paixão pela leitura", disse o Prêmio Nobel, e acrescentou que desconhecia o programa governamental.Pires de Lima disse que o programa para estimular a leitura se desenvolverá durante dez anos para combater os "preocupantes níveis de falta de cultura, especialmente entre os jovens".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.