José Saramago cria fundação para preservar sua obra

Prêmio Nobel diz que entidade também fará a defesa do meio ambiente

Agencia Estado

06 de julho de 2007 | 16h38

O Premio Nobel de Literatura 1998, JoséSaramago, decide criar uma fundação que leve seu nome para preservar sua obra, entre outras atividades, confirmou nesta quarta, 4, à Efe, Zeferino Coelho, editor do escritor português.Coelho disse que aceitou o convite para tomar parte do conselho de curadores da Fundação e que Saramago havia decidido que a Declaração de Princípios fosse publicada no semanário Jornal de Letras, que circula hoje, em Portugal.Este documento especifica que a Fundação foi criada no dia 29 de junho e Saramago diz que é seu desejo pessoal que a instituição faça a defesa dos direitos humanos e a preservação do meio ambiente.O Prêmio Nobel português determinou que a Fundação assuma como norma de conduta "tanto na letra como no espírito" a Declaração Universal dos Direitos Humanos, firmada em 1948.A Declaração de Princípios da entidade se refere também aos problemas do meio ambiente e ao aquecimento global do planeta."Sei muito bem que por si só a Fundação José Saramago não poderá resolver nenhum desses problemas, mas deverá trabalhar como se houvesse nascido para isso", escreveu o autor de Memorial do Convento.A sede da Fundação será dividida entre Lisboa e Lanzarote(arquipélago das Ilhas Canárias), onde reside o escritor, e terá uma delegação em Azinhaga do Ribatejo, aldeia natal em Portugal do autor de Ensaio sobre a Cegueira e outra em Castril (Granada).Em Lanzarote ficará a biblioteca José Saramago com mais de 22 mil obras e sua correspondência, em processo de ser catalogada por dois especialistas espanhóis.Pilar del Río, esposa de Saramago, presidirá o conselho deadministração, que terá José Sucena, como administrador edelegado executivo e Fernando Gómez Aguilera, presidente daFundación César Manrique, com sede em Lanzarote.Em declarações publicada hoje no Jornal de Letras, Del Río disse que a entidade não será neutra e tomará partido "por grandes epequenas causas", porque "somos humanos e tudo o que é humano nosinteressa, por isso tratará de assuntos políticos, econômicos,sociais, culturais e do ambiente".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.