José Murilo de Carvalho toma posse na ABL

O historiador José Murilo de Carvalho lembrou a cearense Rachel de Queiroz, o carioca Machado de Assis e o pernambucano Joaquim Nabuco em seu discurso de posse, nesta sexta-feira à noite, na cadeira nº 5 da Academia Brasileira de Letras. Rachel é sua antecessora e foi parafraseadaquando ele disse que ?mil mineiros não causam o incômodo de dezcearenses?, lembrando o Estado de origem dele e dela. Os outros dois,fundadores da casa, foram lembrados pela ligação que ele pretende fazerentre a Academia de Brasileira Ciências e a ABL. ?Imagino que Nabuco oaplaudiria; a Machado talvez não parecesse ocioso?, disse ele.A posse foi uma das mais concorridas dos últimos tempos, com apresença de 24 imortais e o presidente da Biblioteca Nacional, Pedro Correa do Lago. Até um grupo de 10 amigos da escola secundáriade José Murilo de Carvalho - turma do ginásio de 1956 do SeminárioSeráfico Santo Antônio de Santos Dumont, na cidade do interior de Minas- veio prestigiá-lo. ?Desde aquele tempo, ele era muito estudioso e umdos melhores textos entre nós todos. Não foi surpresa a sua eleiçãopara a academia porque desde cedo ele demonstrou grande talento para asletras, mesmo tendo se encaminhado para a pesquisa história ecientífica?, disse Geraldo Rezende, que foi seu colega até o curso deFilosofia no Rio Grande do Sul. Após a cerimônia foi oferecido um coquetel para 200 pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.