José Mindlin toma posse na Academia Brasileira de Letras

O empresário e bibliófilo José Mindlin, de 92 anos, chegou para sua posse na cadeira número 29 da Academia Brasileira de Letras (ABL) às 20h30 de terça-feira, meia hora antes do início da cerimônia. Ele estava acompanhado de toda a família: as filhas Betty, Diana e Sônia, o filho Sérgio e os 12 netos. O novo acadêmico vai ocupar a vaga que foi do escritor Josué Montello por 52 anos. Mindlin chegou falando de seus planos como imortal. "Tenho muito a aprender aqui. Tenho também algumas idéias que não sei se já estão em prática. Se não estiverem, lutarei para implantá-las. Mas o melhor de tudo será a convivência com os amigos que tenho nesta Casa e que insistiram para que eu me candidatasse", disse ele, antes de se reunir com os outros acadêmicos. Mindlin acaba de doar à Universidade de São Paulo (USP) quase a metade de sua coleção de livros raros. "São 18 mil títulos sobre o Brasil, que vão formar a Biblioteca Brasiliana José Guita Mindlin. É uma coleção que veio se formando ao longo de 79 anos e tornou-se um conjunto indivisível. Por isso meus filhos concordaram em transformá-la em um bem público." A nota triste nesta festa é a ausência de dona Guita, com quem Mindlin foi casado durante 68 anos e que morreu em junho, uma semana após sua eleição. Em seu discurso, ela foi a primeira pessoa a ser lembrada. Mindlin disse que vai tentar freqüentar ao máximo as reuniões de quinta-feira na academia. "Vou tentar vencer essa distância entre o Rio e São Paulo porque aqui há um trabalho interessante a se realizar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.