José Mayer vira trovador na peça 'Um Boêmio no Céu'

Um José Mayer pouco conhecido do público aparece nos palcos paulistanos a partir de amanhã. Como um trovador boêmio, o ator abandona a pose de machão recorrente em seus papéis na TV e se apresenta como um homem simples, cachaceiro e inseparável de sua viola no espetáculo Um Boêmio no Céu. Nesse universo, Mayer se arrisca como cantor em dez canções garimpadas por ele mesmo especialmente para a peça. Aulas de canto e exatos cem dias de ensaios fizeram do ator um apaixonado pela obra do escritor Catullo da Paixão Cearense. O texto de Um Boêmio..., a única peça teatral concebida pelo autor nordestino, foi encontrado pela mulher de Mayer, em 1997. De posse do presente, o ator guardou a peça como um tesouro. Mais tarde, idealizou o espetáculo e resolveu incluir nele músicas compostas por Catullo. Garimpou em sebos 33 canções, das quais 9 compõem o espetáculo. A musicalidade é o mote da peça, toda recitada em versos decassílabos, mas longe de ser erudita, Mayer garante. ?Catullo captou como poucos a cultura brasileira, a alma do nosso povo.? Elementos da cultura nordestina e sua música prometem aproximar o espectador. O texto recitado pelo protagonista é popular, enquanto as falas dos demais personagens são mais elaboradas. Contribuem também para tornar o espetáculo acessível suas temáticas. Dirigido por Amir Haddad, Um Boêmio... fala sobre o encontro de três figuras no céu. O boêmio se encontra com São Pedro (Antonio Pedro Borges) e Santo Onofre (Aramis Trindade), sob os olhos atentos de um anjo (Kátia Brito). O cachaceiro precisa mostrar o que pensa e se expor para as entidades em plena porta do céu. A partir daí, questões relativas a vida, morte, paixões e mulheres passam a ser discutidas, ou melhor, recitadas, pelos atores. As informações são do Jornal da Tarde Um Boêmio no Céu. Teatro Sesc Vila Mariana. Rua Pelotas, 141 - São Paulo. De 19/10 a 18/11. Sex. e sáb., às 21h; dom., às 18h.Tel.: (011) 5080-3000. Preço: R$ 30. Censura: 12 anos.

AE, Agencia Estado

18 Outubro 2007 | 14h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.