José Jiménez Lozano ganha prêmio Cervantes de literatura

O escritor e jornalista espanhol José Jiménez Lozano recebeu o Prêmio Cervantes, um dos mais prestigiados das letras hispânicas, das mãos do rei Juan Carlos, na quarta-feira. Entre os ganhadores do Cervantes estão o peruano Mario Vargas Llosa, o argentino Ernesto Sábato, o cubano Alejo Carpentier e o Premio Nobel espanhol Camilo José Cela. Escritor pouco conhecido do grande público, Lozano cultivou principalmente temas religiosos e sociais, tanto em artigos e reportagens, como em seus 15 romances. Além disso, é um dos mais importantes estudiosos da mística espanhola.Entre seus livros mais conhecidos estão História de um Outono (HGistoria de un Otoño), El Sambenito e A Salamandra (La Salamandra). Em 1989, Lozano conquistou o prêmio Nacional da Crítica pelo cojunto de ensaios O Grão de Milho Vermelho (El Grano de Maíz Rojo). Quatro anos mais tarde, foi laureado com o Prêmio nacional das Letras Espanholas. Lozano fez carreira também no jornalismo, tendo dirigido o jornal de Valladolid O Norte de Castilla até sua aposentadoria, em 1995.O Prêmio Cervantes, equivalente a US$ 91,4 mil toma emprestado o nome de Miguel de Cervantes, o autor da obra universal Dom Quixote de la Mancha. O rei e a rainha da Espanha participaram da cerimônia de entrega da 27.ª ediçào do prêmio, que todos os anos é apresentado pelo paraninfo da Universidade de Alcalá de Henares, local onde nasceu Cervantes no Dia do Livro, conforme instituído pela Unesco e que coincide com o aniversádfio da morte de Cervantes e do dramaturgo inglês William Shakespeare.Na cerimônia, os reis estiveram acompanhados do presidente do governo José María Aznar e da ministra de Educação e Cultural Pilar del Castillo. Lozano leu um discurso sobre Miguel de Cervantes, destacando que o autor tornou-se conhecido pela obra e pelo uso da l´[ingua como "um símbolo ou mesmo uma encarnação da Espanha".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.