José Guedes abre mostra em São Paulo

Na exposição que inaugura amanhã à noite na Galeria Nara Roesler, José Guedes mostra de forma mais completa a pesquisa que o público já teve a oportunidade de conhecer, de forma seleta, na mostra em comemoração aos 50 anos da Bienal de São Paulo e na exposição Rede de Tensões, em cartaz no Paço das Artes. Reconstruções é fruto de um trabalho de registro das imagens refletidas pelas poças d´água em sua cidade, Fortaleza, que acabou ganhando um caráter quase obsessivo. Tanto que muitas vezes o confundem com um fiscal da empresa sanitária local à busca de vestígios de dengue.A inversão é o mote dessa investigação. O que poderia ser repugnante e ter um caráter de denúncia do descaso com as ruas da cidade - afinal, as poças que servem de espelho para Guedes se acumulam nos meios-fios maltratados, esburacados - torna-se belo. O que poderia ser só um registro fotógrafico é, na verdade, muito mais próximo do discurso pictórico, com um cuidado impressionante de cor, de tratamento da textura da imagem e, principalmente, de uma lógica compositiva impecável.Além disso, há também a inversão no sentido mais explícito do termo, já que o artista - que divide seu tempo entre sua pesquisa pessoal e a administração do Departamento de Artes Visuais do Centro Dragão do Mar, que tem levado uma intensa programação a Fortaleza - inverte a lógica da imagem, ao orientar-se pela posição do reflexo e não do olhar do espectador. Explicando melhor: quando olhamos uma poça, vemos as imagens refletidas ao contrário. Na obra de Guedes ocorre o contrário já que, como ele próprio diz, "o virtual é que assume o centro".Agindo dessa forma, ele diz pretender "colocar mais poesia no mundo". O fato de trabalhar em Fortaleza, uma das cidades mais iluminadas do mundo, facilita seu trabalho, dando à obra uma luminosidade e um contraste quase mágico - que o artista reforça com um tratamento digital à imagem.Guedes discorda que com esse seu procedimento esteja procurando resgatar uma certa ingenuidade do olhar. "Eu apenas procuro transformar o mundo em algo mais ameno", diz. Como escreveu o crítico Tadeu Chiarelli em um dos catálogos do artista, ele traz uma visão poética, mas nunca alienada, da urbanidade.José Guedes. De 2.ª a 6.ª, das 10 às 19 h; sáb., das 11 às 15 h. Galeria Nara Roesler. Av. Europa, 655, tel. 3063-2344. Até 18/8. Abertura hoje, às 21 h.

Agencia Estado,

01 de agosto de 2001 | 16h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.