Jornalista enfoca os excluídos em livro

A jornalista Arcelina Helena Publio Dias lança amanhã em São Paulo o livro Sinais de Esperança, resultado de sua peregrinação pelo mundo, iniciada em 22 de abril de 1999. Arcelina, uma "quase monja" - atualmente é uma leiga consagrada e seu endereço é um mosteiro beneditino em Goiás Velho -, diz que, ao decidir pela vida religiosa, resolveu fazer sua peregrinação entre os pobres e excluídos do mundo - entre eles, acredita, é que Deus se manifesta.A partir de então, ela tem se encontrado com populações em situação-limite: os índios de Chiapas, no México, os sem-teto de Dallas, nos Estados Unidos, os meninos de rua da Colômbia. Esses são alguns dos excluídos tratados no livro, que fala da situação de excluídos de sete países da América. Nas suas viagens, ela conta com o apoio de organizações não-governamentais que lidam com essas populações.Sobre as crianças colombianas, Arcelina diz que elas vivem uma situação semelhante à enfrentada pelas brasileiras. O principal motivo que as levariam às ruas seria a guerra civil em que está mergulhado o país. "Quando estava em Bogotá, um menino dormia longe de sua ´camada´, em uma cabine de caixa eletrônico de banco. Puseram fogo nos seus jornais. Era de madrugada, a cabine trancou-se automaticamente e ele morreu ali mesmo, sozinho", escreve ela.A jornalista também já passou por países africanos e do Oriente Médio - entre eles, Israel. Lá, encontrou-se com jovens que resistem ao alistamento militar e à manutenção do Estado de guerra com os palestinos. Essa nova viagem fará parte do segundo livro, que ela já está escrevendo. Nas próximas etapas da peregrinação, ela deve passar pela Ásia, Europa, Oceania. Na quinta e última parte da viagem, ela percorrerá o Brasil.Sinais de Esperança - De Arcelina Helena Publio Dias. Editora Vozes. 282 páginas. R$ 26,00 (e R$ 20,00 no lançamento). Quinta, às 18h30. Instituto Hispânico de São Paulo. Rua Condessa de São Joaquim, 323, tel. 232-1901. Lançamento amanhã, às 18h30

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.