Jornada literária em Passo Fundo tem pauta variada

Apesar de não ser um evento tão grandioso como as bienais de livros de São Paulo e do Rio, a Jornada Nacional de Literatura inicia hoje sua 11.ª edição em Passo Fundo, interior do Rio Grande do Sul, com grandes dimensões literárias numa vasta pauta, que inclui de globalização e responsabilidade social até as inovações tecnológicas. Sem se esquecer, claro, dos novos rumos da literatura.Para a jornada que começa hoje, os números são superlativos: cerca de 110 escritores, entre nacionais e estrangeiros, vão estar em Passo Fundo, nomes como Jostein Gaarder, autor de O Mundo de Sofia, e o filósofo francês Gilles Lipovetsky, que conversa com o público sobre como a sociedade se relacionou com o supérfluo ao longo da história. Antes, porém, ele lança hoje o livro O Luxo Eterno (Companhia das Letras), na Casa do Saber do Itaim, a partir das 18h30.Os estrangeiros vão dividir espaço com grandes nomes das letras nacionais, como João Ubaldo Ribeiro, Ignácio de Loyola Brandão, Ariano Suassuna, Ana Maria Machado e outros. Juntos, participam, na Universidade de Passo Fundo, de um grande debate sobre a diversidade cultural ao lado de inúmeros participantes, calculados entre 4.500 adultos e 12 mil crianças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.