Jorge Amado e Zélia Gattai se conheceram em São Paulo

Jorge Amado passou a viver ao lado de Zélia Gattai em 1945. Eles se conheceram na Praça da República, em São Paulo, durante um comício a favor da libertação do líder comunista Luís Carlos Prestes. Desde então, Zélia, de 83 anos, foi uma espécie de escudeira do marido. Protegia-o do excesso de exposição, auxiliava na revisão dos originais, recebia as visitas, acompanhava Amado em todas as viagens e, nos últimos anos, filtrava o grosso do mundo para torná-lo digerível ao marido.Foi, aos poucos, escrevendo a biografia de Jorge Amado. Seu primeiro livro, Anarquistas, Graças a Deus (1979), era sobre sua infância e família. Já os seguintes, Um Chapéu para Viagem (82); Senhora, Dona do Baile (84); Jardim de Inverno (88), Chão de Meninos (92) e A Casa do Rio Vermelho (99), são livros de memórias, em que Zélia narra diferentes etapas de sua vida com Jorge Amado (todos os livros são publicados pela Record).São histórias ocorridas na residência do casal, no exílio de Amado em Paris, a temporada na Checoslováquia, a forma como se conheceram... tudo está nos livros. Zélia publicou ainda Reportagem Incompleta (86), livro em que reúne fotos feitas em suas andanças pelo mundo ao lado do marido. A união do casal só foi oficializada 33 anos depois, em 1978.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.