Jonathan Haagensen é galã em nova novela

Cidade de Deus deu uma força incontestável à carreira dos atores do filme, mas não há dúvida de que o maior favorecido foi Jonathan Haagensen, que interpretou o Cabeleira. Ele está no núcleo principal da novela Da Cor do Pecado, que estréia no dia 26, na Globo, no papel de um músico que vai disputar a protagonista (Taís Araújo) com Reynaldo Gianecchini. Por causa do filme, Jonathan fez fotos com o super fotógrafo Mario Testino e estrelou uma campanha da NBA, mas ri quando falam de sua carreira de modelo internacional: "as fotos foram uma coisa que aconteceu". Cheio de propostas para fazer filmes, Jonathan também é cantor e continua a integrar o grupo de teatro Nós do Morro, do Vidigal, onde aprendeu a interpretar. Se você não tivesse feito Cidade de Deus você estaria na Globo como galã? Jonathan Haagensen - De repente, não. Já tinha feito pequenas participações. Em Suave Veneno eu era um pivete que contracenava com a Letícia Spiller. Fiz um garoto de rua em Malhação. O filme me deu prestígio, por isso ganhei um papel que tem importância em Da Cor do Pecado. Na novela você será um vilão. Você gosta desse tipo de papel? Gosto de diversificar. Na Companhia de Teatro Nós do Morro, no Vidigal, fiz peças de todos os gêneros: comédia, drama, besteirol, o teatro dá essa possibilidade. No filme Diabo a Quatro, da Alice Andrade, faço um vilão chamado China. O melhor da TV é que ela é muito rápida, objetiva e isso vai me ajudar, porque eu me percebo como alguém que tem o raciocínio meio lento. Quando a novela estrear você vai tornar-se uma estrela. Tem consciência disso? O que Cidade de Deus me trouxe de bacana foi o respeito, a admiração. Sei que a TV, como veículo de massa, coloca mais o ator no estrelato e as pessoas começam a assediar. O que a carreira de modelo internacional trouxe de bom?É engraçado vocês falarem em modelo internacional. Não me considero modelo, foi uma coisa que aconteceu por causa do filme. Fui contratado por seis meses pela NBA, fui para Atlanta, conheci muita gente bacana: Michael Jordan, Eminen, Denzel Washigton. E fiz fotos com o Mario Testino também porque ele viu Cidade de Deus e me chamou. Eu sou um ator. Da Cor do Pecado é uma novela protagonizada por negros. Como você se relaciona com a questão racial? Procuro estar informado sobre os movimentos para entender como me insiro neste mundo. Mas não acho que a novela seja uma novela de negros. Eu sou um ator, não um ator negro; Taís Araújo é uma atriz e não uma atriz negra. Devia ser normal e não um acontecimento ator negro ter papel de destaque. Este País deveria tratar o negro como o presidente Lula trata, com delicadeza. Quem escolheu o nome de vocês? Minha mãe. É Haagensen porque ela foi adotada por dinamarqueses, Jonathan porque ela era fã do série A Gata e o Rato. Quando veio meu irmão, ela colocou Phillipe para combinar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.