Kevork Djansezian/ Reuters
Kevork Djansezian/ Reuters

Johnny Depp x Amber Heard: veja como os depoimentos se contradizem

No processo por difamação que envolve agressões e uso de álcool e drogas, o certo é que um deles está mentindo

Matthew Barakat, AP

09 de maio de 2022 | 08h00

Não há meio termo no testemunho dado até agora por Johnny Depp e Amber Heard no processo de difamação de Depp contra sua ex-esposa.

Um deles está mentindo.

Heard ainda não terminou de contar ao júri sua versão dos fatos. Seu testemunho continuará em 16 de maio, uma vez que o julgamento - que já se estendeu por quatro semanas - recomeça após uma pausa de uma semana. Então ela enfrentará o que se pode esperar com segurança um interrogatório agressivo em um caso em que ambos os lados empregam táticas de terra arrasada há anos, quando o processo foi arquivado pela primeira vez.

Depp está processando Heard na Virgínia por difamação por um editorial que ela escreveu em dezembro de 2018 no The Washington Post, e no qual se descreve como “uma figura pública que é um exemplo de abuso doméstico”. O artigo não menciona Depp pelo nome, mas seus advogados dizem que o artigo o difama, no entanto, porque é uma referência clara às alegações altamente divulgadas que Heard fez quando pediu o divórcio em 2016 e obteve uma ordem de restrição temporária contra ele.

Depp diz que nunca abusou fisicamente de Heard, enquanto ela diz que foi agredida em mais de uma dúzia de ocasiões.

A seguir, sinopses de alguns incidentes e seus relatos divergentes.

A primeira vez

Heard diz que a primeira vez que Depp a atacou foi em 2013, quando ela cometeu o erro de rir de uma de suas tatuagens. Heard disse que havia uma tatuagem mais antiga que ela não conseguia decifrar, e Depp disse a ela que dizia “Wino”.

Na verdade, os dizeres eram “Winona Forever”, uma tatuagem que Depp fez quando estava namorando a atriz Winona Ryder. Ele alterou para “Wino Forever” quando eles se separaram.

Heard disse que ela riu, e Depp respondeu dando-lhe um tapa. Acreditando que o tapa era uma brincadeira, ela continuou rindo. Depp respondeu dando outros dois tapas e um terceiro que a desequilibrou.

“Foi tão estúpido, tão insignificante”, disse Heard ao júri. “Achei que devia ser uma piada.”

Depp negou categoricamente que isso tenha acontecido."Por que eu me ofenderia tanto com alguém tirando sarro de uma tatuagem no meu corpo? Essa alegação nunca fez sentido para mim.”

O dedo e a garrafa de Bourbon

Ambos os lados dizem que a pior violência ocorreu em março de 2015 na Austrália, quando Depp estava rodando o quinto filme da série Piratas do Caribe.

Heard disse que Depp, motivado por uma raiva movida a álcool, a agrediu sexualmente com uma garrafa de licor - pela primeira vez, na quinta-feira, 5, ela identificou uma garrafa de bourbon Maker's Mark como o instrumento ofensivo depois que ela disse que ter visto uma foto da garrafa. Heard veio para a Austrália depois de terminar de rodar seu próprio filme e Depp imediatamente a acusou de dormir com seus colegas de elenco, disse ela.

Depp, por sua vez, diz que foi vítima de violência: ele contou que Heard estava irritada com os esforços dos advogados dele para que ela assinasse um acordo pós-nupcial, bem como o fato de Depp não estar cumprindo a promessa de se manter sóbrio.

Ele disse que fugiu da discussão servindo-se de uma bebida, momento em que Heard jogou-lhe uma garrafa de vodca. Depp disse que respondeu servindo-se de outra bebida. Desta vez, Heard arremessou outra garrafa de vodca, que atingiu sua mão, cortando-lhe a ponta de seu dedo médio.

Fotos mostram que Depp escreveu com sangue mensagens vulgares contra sua esposa nas paredes da casa. Os jurados também viram mensagens de texto que Depp enviou depois a outras pessoas nas quais alega ter cortado o próprio dedo. Depp disse ter inventado essa história para proteger Heard e evitar o envolvimento da polícia.

Álcool e Drogas

Embora não seja um incidente específico, Depp e Heard pintaram retratos muito diferentes do uso de drogas e álcool por Depp.

Heard disse que drogas e álcool - junto com ciúmes paranoicos - transformaram o homem que amava no “monstro” que a fez temer pela própria vida. Segundo ela, Depp escondeu o uso de drogas e álcool dela e da família, mas seu comportamento deixava claro quando estava drogado ou bêbado, muitas vezes beirando a incoerência.Johnny fica diferente em cada estado, tive de prestar uma boa atenção nas diferentes atitudes dele”, disse Heard, acrescentando que as negações de Depp carecem de credibilidade em parte porque ele desmaiava e esquecia o que havia feito.

De fato, ouviu dizer que as negações do Depp do sistema de abuso físico carecem de credibilidade em parte porque ele apagaria e esqueceria o que tinha feito.

De fato, Heard disse que as negações de Depp carecem de credibilidade em parte porque ele desmaiava e esquecia o que havia feito.

Depp, por sua vez, admitiu que se tornou viciado em oxicodona e passou por um processo de desintoxicação em 2014. Mas reforçou que as alegações de uso descontrolado de drogas e álcool são grosseiramente forçadas.

“Sempre tive uma grande tolerância ao álcool”, testemunhou. “Mas nunca tive o vício.”

Tudo o que sabemos sobre:
Johnny DeppAmber Heard

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.